.Moda de Subculturas - Moda e Cultura Alternativa.: Cabelos Coloridos: Cacheados e Afros

14 de outubro de 2014

Cabelos Coloridos: Cacheados e Afros

Voltamos aos cabelos coloridos, porém o tema agora é focado nos cabelos cacheados e afros por serem os tipos mais comuns entre as brasileiras, mas não encontrados com muita frequência por aí, ao menos em matérias da grande mídia. Se alguém achava que ter fios coloridos só é possível ou legal em quem tem cabelo liso, recolhemos três depoimentos de meninas que provam que não é bem assim não. É saber adequar ao seu estilo e gosto. Você pode ter a cor que quiser na sua cabeça, basta seguir os procedimentos e cuidados que o tipo de fio necessita. Então vamos lá!

Magá Moura é relações públicas, cool hunter, especialista em marketing de moda e blogueira. Ela usa tranças desde 2007 e passou a usar a cor rosa quando viu Rihanna com uma peruca da mesma tonalidade. Com seu estilo irreverente - que a gente ama! - essa linda cabeleira parou Londres na semana de moda, saindo em diversas mídias de street style ao redor do mundo. O exemplo da Magá nesse post é específico, pois ela usa um método sem descoloração e que não agride o fio. Interessante que além das tranças, muitas estrangeiras usam perucas como opção de mudança capilar, algumas por não quererem descolorir os fios, motivos de trabalho, etc. Ou seja, há sempre uma adaptação para algo que você curte, basta ter criatividade e se jogar!

 

Você curte alguma subcultura (punk, grunge...)? Se sim, alguma delas lhe inspira na estética?
Sobre subculturas, me identifico com a do Hip Hop, no fator musical, artístico e de estilo. Pode dizer que minhas tranças sofreram influência dessa subcultura sim.

As brasileiras têm cabelos mais enrolados do que liso, mas nem todas as mulheres assumem os fios naturais. Você sentiu alguma vez vontade de alisá-los para poder fazer cortes e penteados diferentes ou isso nunca te impediu?
Nunca senti vontade de alisar o cabelo, não acho que isso seja necessário para fazer coisas diferentes, é até mais fácil inovar no crespo do que no liso. Este "vício" em alisar das brasileiras não me representa [risos].

Você usa trança e não dreads. Como é o procedimento para deixá-lo colorido e de quanto em quanto tempo você muda?
Utilizo jumbo, uma fibra de cabelo artificial, para dar cor e o comprimento que quero. Compro em lojas especializadas, há diversas opções de cores, estou na fase rosa. A cabeleireira utiliza junto ao meu e as tranças duram até três meses, mas troco no máximo em dois.

Que tipos de cuidados você precisa ter com as tranças?
As tranças são super fáceis de manter. Meus cuidados são lavá-las bem apenas com shampoo anticaspa, já que o couro fica aparente e tem uma descamação muito maior, também utilizo um produto da Bed Head chamado After-Party que deixam elas mais macias e cheirosas.

Por último, ter tranças coloridas já atrapalhou no emprego? 
Nunca perguntei se podia usar ou não, quando trabalhava já chegava do meu jeito! [risos] ...Ninguém nunca reclamou!


- - -  - - -


A Marcela tem 27 anos, é blogueira e trabalha como autônoma, inclusive sendo fotógrafa e fazendo sessões com modelos alternativas. Ao longo de sua vida, mudou várias vezes o cabelo, usando diversas cores sem o menor receio de ousar.


Quando surgiu a vontade de pintar o cabelo de colorido? Teve influência de algo, algum movimento, pessoa? 
Foi em 2004, quando eu ainda estava no segundo colegial. Uma amiga tinha o cabelo vermelho e me sugeriu pintar também. Logo de cara quis pintar de azul, mas por falta de profissionais que trabalhavam com cabelo afro (e conhecimento próprio sobre produtos compatíveis pois meu cabelo tinha relaxamento), acabei desistindo. Daí pintei pela primeira vez em 2008, com Violeta Genciana. Foi fácil pois pesquisei antes e meu cabelo naturalmente é um castanho médio avermelhado. Acredito que a influência mais forte, foi por conta do movimento Grunge.

Você mesma tinge ou frequenta algum profissional?
Eu mesma tinjo pelo fato de não confiar muito no trabalho de alguns profissionais. Muitos não possuem o cuidado de usar um bom produto, fazer teste da mecha e por vezes ultrapassam o tempo de aplicação. E por falta de conhecimento acabam por estragar o cabelo. Cabelo afro é complicado pois possuem vários tipos de estruturas (3C,4 A,4B e 4C) e nem todo cabelo segue a mesma rotina de tratamento.
Eu sei os produtos que uso, o que meu cabelo gosta e como devo proceder para ter o resultado desejado, já que uso química desde muito nova. Não recomendo, mas por conta de anos tendo à mão uma gama limitada de produtos para cabelos afros no mercado, adquiri o costume de cuidar em casa ou naquela cabeleireira de confiança quando a mesma tem conhecimento (algo raro). Hoje em dia no mercado há mais disponibilidade e variedade cosmética, mas nada substituí, na minha opinião, receitas passadas de geração para geração, com coisas que possuímos na nossa dispensa ou jardim.

As brasileiras têm cabelos mais enrolados do que liso, mas é difícil encontrar meninas como você, que usou/usa cachos coloridos. Você sentiu alguma vez vontade de alisar o cabelo para poder fazer cortes e penteados diferentes ou isso nunca te impediu?
Eu usava cabelo relaxado (para soltar os fios) e sinceramente não gostava, mas usar intervenção química para alisar não. Mesmo com relaxamento mantinha apenas a franja lisa pois sempre gostei de franja, e o resto com uma forma indefinida que eu achava interessante, por vezes alisava com a chapinha, mas nada tão regular. Em 2011, usei o cabelo "liso", pois abandonei a química e pranchava para facilitar na hora que eu queria deixar frisado... eu, sinceramente, no pouco tempo que fiz isso, me sentia mais limitada do que com meu cabelo naturalmente crespo. Cabelo liso é bonito, mas gosto do meu rebelde e armado, algo que alisando eu não teria.

Cabelos cacheados ou afros ressecam com mais facilidade. Que tipo de cuidados são necessários fazer antes e depois de uma descoloração, procedimento que danifica muito o fio? 
Cada cabelo é uma sentença, mas geralmente eu umectava com babosa ou óleo de amêndoas. Uso máscaras reconstrutoras a base de queratina. Isso duas vezes por semana, uso shampoo sem sal e com Ph baixo. Nunca descolori o cabelo de uma só vez, sempre o fiz gradativamente até conseguir o tom que eu queria, com pausas longas, pois a amônia muda a estrutura dos fios. Usando produtos de boa qualidade para descolorir e quando recorria ao retoque, apenas descoloria a raiz quando a mesma já estava bem evidente (uns quatro dedos para mais), não descoloria o comprimento. Quando queria mudar de cor, esperava a cor atual desbotar consideravelmente.
Uma coisa que tenho o hábito de fazer desde muito novinha é passar óleo de amêndoas doce (aquele que vende em farmácia) nas pontas, e nunca pentear o cabelo seco. Fazer hidratação com abacate também é muito bom (não é agradável, mas o cabelo fica ótimo!), usar óleo de mamona ou de semente de uva auxiliam bastante na hidratação, receitas que minha mãe passou pra mim já que ela morava em um povoado no interior da Bahia, e lá os recursos eram escassos na juventude dela.

Por último, ter fios coloridos já atrapalhou no emprego? 
A primeira vez que pintei em 2008, foi usando Violeta Genciana e eu trabalhava em comércio (e nem era loja de roupas). Antes de colorir, perguntei ao meu chefe se poderia. Ele liberou, mas que a cor fosse escura e fui lá e pintei. Na cidade que nasci, pessoas com cabelos coloridos não são aceitas em empregos convencionais, mas dias desses vi em uma loja de departamentos um rapaz de cabelo rosa, uma exceção. 


- - -  - - -


A Julia Queiroz é uma carioca de cabelo cacheado, tem 30 anos e uma profissão não muito comum para alternativos: é harpista. Essa singularidade dela é ótima, pois torna-se um exemplo de como manter-se fiel ao seu estilo, mesmo tendo a necessidade de se adaptar nas horas do emprego. A sua paixão por pintar fios é tão forte que possui uma loja online, a Pin You Up, onde revende uma variedade de produtos, como tinturas Directions, meias-calças (inclusive tamanhos plus size), artigos de papelaria e acessórios. Tudo isso pode ser conferido também no face da marca, que entrega para todo o país.


Quando surgiu a vontade de pintar o cabelo de colorido? Teve influência de algo, algum movimento, subcultura, pessoa? 
Influência de desenho animado, talvez. Meu sonho de infância era ter o cabelo vermelho da Ariel, partir do vermelho fantasia pra outras cores é um passo. Mas a primeira lembrança de uma pessoa com cabelo colorido que eu tenho é a Rita Lee.

Você mesma pinta ou frequenta algum profissional? 
Os dois, depende só de quanto tempo eu tenho disponível. Fazer em casa dá um pouco mais de trabalho e leva mais tempo, mas enquanto o descolorante e a tinta agem dá pra adiantar afazeres, então quando eu estou mais tranquila de compromissos faço com uma profissional, mas quando estou na correria acabo fazendo sozinha mesmo.

As brasileiras têm cabelos mais enrolados do que liso, mas é difícil encontrar meninas como você, que tem cachos coloridos. Sentiu alguma vez vontade de alisar o cabelo para poder fazer cortes e penteados diferentes ou isso nunca te impediu?
Ainda tenho vontade na verdade, mas só de pensar no trabalho que dá ficar fazendo escova e chapinha eu acabo desistindo, além de não conseguir ficar mais de um dia sem lavar. Sou dessas pessoas que quanto menos trabalho, melhor.

Cabelos cacheados ressecam com mais facilidade. Que tipo de cuidados são necessários fazer antes e depois de uma descoloração, procedimento que danifica muito o fio? 
Por ser cacheado acaba dando um pouco mais de trabalho, mas o segredo é investir em bons produtos, tanto antes quanto depois da descoloração. Descolorante, tinta e cremes (e óleos) de qualidade são o melhor investimento, e hoje em dia a maioria deles são de ação rápida, então dá pra fazer qualquer passo do Cronograma Capilar no banho. E leave in sempre. Cabelo cacheado fica um fuá sem um leave in com ativador de cachos.

Por último, ter fios coloridos já atrapalhou no emprego? 
Sim. Eu tenho uma peruca castanha que uso quando toco em casamentos, recepções, eventos sociais em geral. Eu sempre ofereço as duas opções pra depois a pessoa não dizer: "ah, eu não sabia do colorido".

Esperamos que tenham curtido as entrevistas! Agradecemos a Julia, Marcela e Magá por terem concedido parte do tempo delas e dividirem com a gente suas dicas. Obrigada, meninas!

E você, tem cabelo cacheado ou afro colorido? Deixe seu depoimento nos comentários!

  • 11Blogger Comment
  • Google+ Comment
  • Facebook Comment
  • Disqus Comment

11 Comments

  1. Curti muito este post! Legal ver o efeito do colorido em cabelos como estes!
    Muito bom, e parabéns as meninas, são lindas!

    ResponderExcluir
  2. Fica super bacana, mas em mim acho que não ficaria legal não.
    Tem que ter estilo, e eu sou muito basicona.
    Beijinhos

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Mhilka, vc pode ir fazendo testes com métodos não definitivos, como perucas, apliques.Tem mais gente do que se pensa usando perucas coloridas na rua sem ser em dia de festa. Sempre tem alguma opção para adaptar e se divertir. Bjkas!

      Excluir
  3. Vocês não fazem ideia do trabalho que estou tendo para sair da química e assumir, novamente, meus cachos. Quando o cabelo fica metade cacheado, metade colorido, a vontade é esquecer o esforço e voltar a alisar novamente. Para mim, essa matéria foi um belo de um incentivo - mal posso esperar para estrear meus cachos verdes/violetas/vermelhos, que tanto quero!
    Eu acho legal alisar esporadicamente, sem procedimentos tão abrasivos, para sair da mesmice e dar uma mudada - mas quando se torna uma "obrigação", é hora de repensar...

    Beijões <3

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Amei seu relato, Mochlath Lux! Saiba que vc não está sozinha nessa transição. Vejo em grupos meninas que estão passando por isso, assumindo seu cabelo natural novamente. De fato até o cabelo harmonizar demora mto, mas se esse é o seu objetivo, não desista! Depois vc vai poder usar outros métodos sem ser definitivo para ter o fio liso como variação, caso queira. E que bom saber q o post lhe ajudou a incentivar nesta fase. Bjkas!

      Excluir
  4. Uso as minhas tranças na tonalidade do meu cabelo. Poxa me apaixonei pelo rosa cara, e olhe que eu não curto muito rosa. Belíssimo post!

    Beijo

    madessy.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Madaha! Rosa é uma cor curinga, ela fica bem em todo tipo de tom de pele! Muuuuito difícil ela ficar ruim em alguém, a não ser, é claro, que a pessoa realmente não se identifique com a cor! ;)
      Bjs!!

      Excluir
  5. Eu curti bastante de ler e participar da matéria,achei bem interessante as tranças da Magá,eu já tive anos atrás mas foi na cor do meu cabelo mesmo,aqui a aceitação das tranças e até mesmo dos dreads é bem maior do que dos cabelos ao natural algo que eu ainda não entendo.A Julia eu já vi em alguns grupos,mas não sabia da loja dela eu gostei bastante e achei bem interessante a opção da peruca,confesso que cogitei em usar em alguns eventos para fotografar .Bacana como cada uma cuida dos cabelos!
    Mais uma vez agradeço por ter participado ^^

    Beijos

    ResponderExcluir
  6. Hum muito boas suas dicas. meu cabelo é crespo e não vejo crescimento já faz um tempo, já cheguei a pesquisa alguns produtos que prometem crescer como NOVA REPAIR mas não cheguei a comprar você indicaria algum ? http://novarepaircomprar.com/nova-repair-funciona bjs até breve

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi!
      Puxa eu realmente não saberia te indicar um produto comercial. O que eu sei é que pra crescimento natural é bom comer proteínas e alimentos (frutas/legumes) na cor laranja :)

      Excluir

Obrigada por comentar! As respostas serão dadas aqui mesmo, então não esquece de clicar no botão "notifique-me" pra ser informada.

comments powered by Disqus
Pin It button on image hover