.Moda de Subculturas - Moda e Cultura Alternativa.: Blogs, patrocínio e consumo: como adaptá-los ao cenário alternativo sem perdermos a identidade?

22 de dezembro de 2014

Blogs, patrocínio e consumo: como adaptá-los ao cenário alternativo sem perdermos a identidade?

Quando alternativos criavam blogs, costumavam ser voltados à musica, arte e outros aspectos subculturais. Assim sendo, tendiam a priorizar conteúdo intelectual, porque teoricamente os alternativos eram os seres críticos e pensantes da sociedade.

Porém, com o tempo, a ideia de publicidade, comum em blogs de moda mainstream, também se expandiu aos blogs alternativos. Talvez estes espaços tenham demorado pra entrar na onda comercial por causa de uma resistência natural de “se render ao sistema”. Então, se antes os blogs alternativos falavam de variedades da cena underground/subcultural, hoje boa parte deles fala também de produtos comerciais. Já é comum neles o patrocínio de lojas, afinal, oferecer conteúdo relevante ou interessante na web exige dedicação e muito trabalho, e nada mais justo que ele seja recompensado.


O Moda de Subculturas é um blog focado em artigos autorais que também divulga marcas alternativas, afinal, "Moda" é algo que está em nosso nome. Desde o começo do blog quis indicar aos leitores boas lojas alternativas, pois lojas mainstream estão em todo lugar. É importante que as lojas cheguem ao público de nicho, muito mais do que números, é importante que um leitor que mora no Oiapoque ou Chuí, saiba que existe uma loja alternativa virtual que vende o estilo que ele gosta. Essa união entre lojas e a mídia alternativa (blogs) são importantes quando se trata de nichos, pois promove o crescimento de ambos!


Mas lidar com os aspectos comerciais de um blog de nicho não é tão fácil quanto parece. Durante nosso caminho, surgiram tais questionamentos:

- Como dosar as linhas de publicidade/consumo com bons artigos autorais dentro do blog?   

- Como convencer lojas que o público pode não consumir o produto de imediato (afinal, peças alternativas têm um estilo mais específico e custam mais caro) mas o simples ato de saber que uma loja x existe pra quando ele precisar, é um fator importante à médio prazo?

- Ficamos nós, blogueiras, numa saia justa, divididas entre publicidade mainstream fácil (as propostas por email são constantes) e a difícil mas maravilhosa originalidade das lojas alternativas?


Com a estética alternativa popularizada em lojas mainstream, as lojas do nicho ganharam concorrentes indiretas de peso comercial. Não raro, são as lojas mainstream que fabricam na Ásia que tem mais cacife pra bancar patrocínios em blogs de nicho, assim, as reais lojas alternativas ficam ainda mais suprimidas quando as lojas mainstream tomam os espaços alternativos.   


O cartoon mostra duas garotas que encontraram uma blusa da Patti Smith, sapatos incríveis, cruzes invertidas, caveiras e questionam:
 "quando os shoppings se tornaram tão legais?"


Se o alternativo invade o mainstream, o mainstream também acaba por invadir o alternativo se a pessoa abrir a porta para isso. A partir do momento que espaços alternativos mudam seus formatos pra se adaptar ao sistema tornando-se parecidos uns aos outros em termos de publicidade, acaba fazendo falta o charme do conteúdo pessoal, das fotos espontâneas, do toque único de cada um. Ficamos reféns de conteúdos rápidos para manter acessos, de fotos e cenários perfeitos que não vendem um produto mas um "lifestyle", um "status" que deve ser desejado e copiado.

A chamada "Blogagem Coletiva" surge pra resgatar o tipo de postagem que os blogs perderam numa era onde tudo virou espaço para venda: são grupos que promovem posts com temáticas diversas mas de cunho pessoal, pra trazer um pouco mais de humanidade e menos materialidade aos blogs.

Na contrapartida (e até mesmo resistência) de tudo isso, existem blogs alternativos nacionais (com publicidade ou não) que trazem conteúdo próprio e looks muito bons. Percebemos de cara, tanto via layout quanto via postagens, a ligação das autoras com alguma subcultura/mundo alternativo. Seus looks do dia são próprios, comprados, recebidos, montados ou desmontados, reais... são como uma brisa refrescante num dia de calor: te fazem sorrir e admirá-las.


O maior desafio das blogueiras alternativas quando colocam publicidade em seus blogs é: não oferecer mais do mesmo e manter seu estilo pessoal mesmo que ele não seja a regra.

O público alternativo não é maioria, tem um gosto específico e percebe quando algo é falso. Não gosta muito de ver coisas "massificadas", iguais. É um público muito mais exigente que o público de massa. É preciso apresentar produtos pra este público de forma verdadeira, com opiniões que não imponham, mas informem e construam. 

Nem sempre a forma que blogs mainstream apresentam produtos é ideal para nosso público. Falar de Moda não é "eu acho essa peça isso ou aquilo" ou "essa peça combina com essa podem comprar". Para falar de moda é preciso ter cultura de moda ou no caso alternativo, "experiência" com determinado estilo.

Também existe o imenso desafio de nós, autoras, termos de lidar constantemente com lojas alternativas cujos proprietários ainda não têm maturidade pra entender que gerem uma empresa de Moda. São pessoas que fecham parceria e desaparecem; que fecham parceria e desenvolvemos o necessário para criação de posts sobre a marca, não enviam os produtos prometidos e você perdeu tempo e energia se dedicando à marca delas. Existe preconceito com espaços que não fazem looks do dia - não compreendem que o público consome o produto de outra forma; existe o preconceito com blogs que fazem looks do dia mais "reais". Há as lojas que querem exclusividade de divulgação mas não oferecem nenhum tipo de patrocínio ou compensação pela tal "exclusividade". E sem falar também da síndrome de vira latas (assunto pra um post especial que estamos montando!) que desvaloriza o nacional mas endeusa o estrangeiro. Nós somos a ponte com o leitor-cliente e não indicaremos lojas que não levam seu próprio trabalho ou imagem à sério e pensam que nosso leitor, por curtir um formato diferente de blog, é menos apto ao consumo da empresa delas. 


Quando se trata de blog alternativo...
Espaço e oportunidades são menores. Todo mundo que tem blog neste nicho, tem porque ama, porque querem se auto expressar e divulgar o mercado alternativo nacional.
Este blog cresce a cada dia mesmo não seguindo modismos, então existe público que aprecia quem não segue um formato igual à todos. 

Nós temos espaços alternativos (eu e outras blogueiras alts) que têm admiradores e temos o desafio de falar de marcas e lojas pra um público exigente que pede por diferenciação e ao mesmo tempo o desafio de lidar com lojas de nicho oferecendo postagens de qualidade com opiniões reais e um espaço de divulgação que lojas alternativas não encontram em outras mídias.


Pro próximo post sobre comportamento: o que o público alternativo quer ver nos looks do dia?


* Postado originalmente em abril de 2014, em meu blog pessoal, importado e com texto atualizado para o MdS.
  • 19Blogger Comment
  • Google+ Comment
  • Facebook Comment
  • Disqus Comment

19 Comments

  1. Isso lembra a antipatia que eu tive antes de clicar pra entrar no blog moda de subculturas :') pensei que ia ser só looks e maquiagem sem informação nenhuma. Errei feio. Eu tenho raiva de entrar em blogs e não ter algum post falando sobre o que o próprio autor "segue" ou parágrafo ou algumas informações soltas, e eu nem ligaria pra isso se fosse alguma porcentagem não tão grande quanto é na maioria T_T

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Pois é você pelo menos fala oque gosta ou não ;-; eu tinha visto alguns que as blogueiras só escrevem sobre a própria ostentação T_T e não tem essa imagem perfeita e "idealizada" é algo mais legal de se seguir :'))

      Excluir
  2. Sana, A-M-E-I o post!!!
    Eu sinto muita falta de blogs sinceros , sabe? Em que as pessoas falam de N temas + moda e beleza.
    Quando o Look do dia é realmente um look do dia que você sabe que a pessoa vai de verdade usar aquela roupa pra trabalhar/estudar/sei la oque , e não só tirar uma foto pagando de cool.

    Vc consegue reavivar minha esperança que ainda tem pessoas que não precisam seguir o que tá nas revistas!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Acho que sei ao que se refere, esses blogs deram uma diminuida mesmo, os que não focam tanto em moda e beleza mas também em aleatoriedades e opiniões pessoais. Alguns que eu seguia fecharam/pausaram, eu fico triste.
      Acho que a pessoa fazer um post com sessão de fotos é até legal, divertido, com poses, roupas loucas e tal! Mas ainda curto bem mais os posts com looks mais "vida real" =)

      Excluir
  3. Eu sou uma pessoa alternativa e adoro o lookbook.nu, por exemplo, mas eu uso muito pra me inspirar.. Muito mais do que pra copiar. Às vezes pode ter um look com uma pegada super colorida, que eu nunca vá usar, mas alguma coisa no styling me chamou atenção e dá pra eu adaptar com as coisas que eu tenho em casa, que vão fazer parte do meu estilo.
    Mas acho sempre válido esses looks serem reais. Nada de "me montei pra fotografar agora eu vou tirar essa roupa toda e botar uma super básica". Acho que aí perde todo o propósito de um blog de moda, não interessa qual o estilo. Se eu quiser ver pessoas super montadas, eu compro uma revista.

    Beijos,
    Jiglay

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Também super curto me inspirar no lookbook, só inspirar mesmo porque nem tem como copiar, meu guarda roupas é bem diferente do deles hahaha!!
      Olha, acho legal a blogueira fazer sei lá, um editorial de moda, mas que isso fique explícito no texto. Editorial de fotos é diferente de look do dia né?
      Bjs!!

      Excluir
  4. Isso é um tema realmente polêmico. Nosso blog é de dicas de beleza e não costumamos falar de moda ou postar looks, mas passamos também por essas questões de patrocinio e afins. Nosso blog não é dos maiores, mas temos muitos acessos e isso traz o interesse de algumas marcas e assessorias em nosso trabalho. Acaba que surgem convites para eventos em conjunto com blogs mainstrean e confesso ser muito incomodo para mim comparecer a tais lugares, se quiser podemos conversar em off sobre isso rs. Mas nesses 4 anos, consegui alguns contatos e uma vez conversei com uma guria que era assessora de uma grande marca e ela comentou que gostaria de nos incluir nos blogs de determinada marca uma das mais famosas de maquiagem no Brasil tb, mas essa marca exigia blogs com layout mais "clean". Enfim.. nós não mudamos, e acho que seria sacanagem mudar, pq se estava lá é pq tinha publico e somente por ele o blog deve mudar, pelo menos na minha opinião;
    Com relação a receber produtos, publieditoriais e afins. Acho justo, porque 90% do meu conteúdo foram produtos comprados por mim, e já fiz publicidade grátis pra muita gente, mesmo sem querer. Receber algo para mostrar e dar opinião, não é o problema. Até pq manter o blog no ar exige custos, e se vc parar de postar o publico cobra a sua presença e não sou de familia ryca rs. O problema é vender sua opinião por um produtinho qualquer. Eu mesma já recebi coisas, não gostei, falei que não gostei no blog e a marca nunca mais entrou em contato rs. Como já disse antes, o compromisso do blogueiro é com seu publico e não com as marcas, e os blogs devem buscar uma identidade, mostrar a sua realidade, sem imitar ou tentar mostrar um mundo fantasioso para seus leitores.
    Beijão!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Carla!
      Claro, adoraria conversar com vc!! =)
      É por isso que gosto do blog de vocês, sempre enxerguei nele esse vínculo com o alternativo, não teve uma vez que entrei lá e não identifiquei como sendo da linha mais "rock", o layout passa essa info, tanto quanto os posts!
      Vocês que trabalham com essa linha mais make/beleza faz TODO sentido receber produtos de lojas (mainstream) mesmo porque não temos lojas de make alternativas e mesmo que tivéssemos, maquiagem/beleza são coisas que não tem como fugir do mainstream! E concordo que blog, ainda mais com publico e acessos como vocês tem, dá trabalho mesmo e chega uma hora que precisam ser compensadas!
      Hahahaaaa! Eu ri com esta de a marca não ter voltado contato, pôxa, se é um review, qual o problema de apontar os "defeitos" pra marca melhorar, não é mesmo?
      Bjs linda!! =D

      Excluir
  5. Sana, esse post realmente é fantástico!
    Os blogs alternativos, quase sempre falam da mesma coisa, porém é importante se manter a individualidade para que as pessoas se identifiquem com ele, até mesmo porque existem milhares de blogs e é preciso fazer a diferença para cativá-las.
    Eu acho muito legal você poder juntar o útil ao agradável. Dinheiro não cai do céu, e se quem tem blog, se dedica à ele e consequentemente acaba ganhando dinheiro com isso, é uma motivação a mais pra continuar! Admiro muito quem renuncia a encheção de saco pra marca, mesmo sabendo que pode perder o apoio dela.
    Isso mostra atitude e fidelidade aos seus leitores e é uma forma de ficar em paz consigo mesmo. Nessa vida a gente tem que tentar fazer o que se tem vontade!
    Beijão!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. A identificação com a blogueira ainda pesa né? A gente só retorna à blogs que de alguma forma nos cativam, e no meio alternativo, que é de um publico tão menor, isso ainda é fundamental!
      Bjs!!

      Excluir
  6. ótimo post como de costume, sana! esses questionamentos são super importantes e é bem close to home pra mim... e eu acho que a gente devia ir tomar um cafézinho pra discutir tanta coisa que se tem pra considerar sobre esse assunto! mas como eu tenho tendência a divagar muito, vou tentar falar apenas do que você pontuou nesse texto.

    eu acho que é uma tendência natural de como as coisas evoluiram na internet: antes o que era feito como hobby ou com outras intenções começou a ter potencial para ser monetizado, e isso não é exclusividade de moda alternativa. nada mais justo que quem é adepto a isso também poder pagar as contas com algo que se dedica tanto! por mais que isso tenha sido uma resistência inicial, eu acho que a grande questão nunca foi ganhar ou não dinheiro, mas sim COMO: se vai ser tão verdadeiro, sincero e genuíno quanto o estilo que a pessoa usa. e é nisso que eu acho que o "alternativo" pode se perder pelo caminho, como você exemplificou com as ovelhas. heh
    e eu não sei se falar de moda e beleza surgiu das exigências das lojas, acho que é uma necessidade que vem do público. acho inclusive muito importante, pois por tempo demais quem tinha um estilo diferente era obrigado a ser auto-didata e se virar com poucos recursos e informações, nem sempre resultando em um visual bem feito. acho positivo que blogs com esse tipo de conteúdo instruam, para que a gente tenha uma facilidade cada vez maior. e isso não significa que estão mais comuns, se preocuparem em abordar esses assuntos de forma direcionada, com produtos diferenciados, etc.
    acho que o ideal mesmo é quem une um conteúdo pessoal junto com a publicidade (que pode ser feita de vários jeitos diferentes).

    o que buga a minha cabeça (e a das meninas do cartoon) é que moda alternativa virou uma tendência. mastigada, processada, pasteurizada, com perda de significado/estilo, mas virou. podemos nos ofender, ou podemos tomar proveito disso. na maior parte do tempo acho ótimo que as coisas que a gente sempre gostou estão mais acessíveis (pena que as bandas das camisetas em lojas de departamento não estão recebendo um centavo pela estampa) e que mais pessoas vão se interessar por coisas em comum. eu realmente não me preocupo se está popular ou não, porque o jeito que usamos uma peça vai ser sempre diferente da grande parte da população. aquele mesmo anel de crucifixo vai ter outro contexto dependendo do restante do look... e aquela blusa da renner "punk is not dead" já estava lá há 10 anos atrás...

    e o quanto será que isso é verdade, na prática mesmo? existem agora os looks "de internet", que é podem ser bastante impressionante e "alternativos" para as fotos, mas quantas pessoas você vê na rua super montadas, com chapéu, com maquiagem pesada, o que for? a moda mainstream e do dia-a-dia SEMPRE vai ser suavizada até quando nossos estilos de vida precisarem, SEMPRE vai seguir uma maioria. e a moda alternativa SEMPRE vai ser o oposto! nem que for sair de pink da cabeça aos pés!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Pode deixar que quando eu for pra Sampa a gente marca um café =DD
      Divagação também é meu ponto fraco, então reserve algumas horas pro encontro rsrsrs!!!
      Make e beleza sempre foi auto didatismo mesmo, mas eu sou tão desabilidosa nesta área que nem com 500 tutoriais e dicas eu aprendo hahahaa!! Shame on me! Mesmo adoro ver videos de make voltados ao alternativo!

      Essa coisa da moda alt. ter virado tendência, eu mesma compro diversas coisas de lojas mainstream MAS o que me confunde nem é tanto isso de a gente (que é alternativa) comprar destas lojas porque como você disse, vamos usar dentro do nosso estilo.
      O que me intriga é que parece que surgiu umas meninas fashionistas de aparência alternativa. Elas se vestem como alternativas, mas quando você fala com elas ou lê o blog delas, elas não tem nenhuma ligação com subculturas ou música, elas tem apenas a APARÊNCIA alternativa. É louco isso!

      Esse seu último parágrafo tem + - a ver com o post que fiz logo depois deste sobre looks do dia... quando a gente posta nossos looks alternativos reais, do dia a dia, o retorno do publico não é o mesmo! É MUITO mais inferior ao de quando a gente posta um look mais montado de fim de semana! Então, os leitores também pecam, quando eles ignoram os looks reais e mais amenizados da blogueira, eles alimentam mais essa coisa de a blogueira ter de ser fake ou só postar os looks mais elaborados =/

      Excluir
  7. Adorei o post!
    Como sempre, nos fazendo pensar.

    Eu sou nova nesse meio de blogueira e confesso que fico meio perdida com muitas coisas ainda...rs
    Mas se tem uma coisa que eu tento fazer no meu blog, é ser sincera, mostrar coisas que eu realmente gosto e uso. Nos meus looks do dia (que devem ser só uns 2 por enquanto, pois o blog é novo) eu sempre faço quando estou pronta pra sair, ou seja, são coisas que eu estou usando de verdade, pra ir pra algum lugar e não apenas pra fotografar e depois correr e trocar de roupa pra sair.

    Mas seu post me fez pensar bastante em tomar cuidado pra não perder a minha essência alternativa, que é o que eu quero passar no blog. Às vezes, na empolgação, a gente pode acabar se perdendo...

    p.s.: Eu simplesmente adoro seu blog!!! ^^

    bjin

    http://monevenzel.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olha, o que posso te dizer é: Seja você!
      Poste o que gosta e não necessáriamente o que está "na onda". Só que assim... pra mim, não existe conteúdo bom ou ruim, existe o conteúdo de um blog - sempre vai ter quem goste do que você escreve. O mais difícil no começo é ter os leitores, daí é aquele esquema de comentar em todo lugar pras pessoas te conhecerem, daí se elas curtirem seu espaço, elas voltam sempre!
      Eu curto looks do dia reais, gosto também de fotos ao estilo "editoriais de moda" - mas acabo aproveitando mais as "dicas" dos looks reais :)

      Sobre perder a essência, isso é comum acontecer porque a gente recebe muita informação e referência de todo o lado, tudo é muito rápido, a gente quer experimentar, que tentar fazer parte pra ver se dá certo. Mas aí a gente senta e respira fundo, se desliga do mundo e volta ao normal rsrsrs!

      Excluir
    2. É, eu também penso assim. Sempre tem alguém pra gostar de alguma coisa, afinal somos todos diferentes e é isso que é legal. Mas como eu disse, eu sempre tento passar aquilo que eu realmente sou no blog. E acho que quando se está sendo sincera e está fazendo algo por gostar, já vale o tempo gasto com aquilo. Mesmo que não tenha muito retorno. ^^

      Sim, eu também gosto dos dois, mas os looks reais sempre tem dicas que melhor se adaptam ao nosso dia-a-dia. Os editoriais são mais pra sonhar e viajar com a imagem e, claro, aproveitar um detalhe ou outro.

      Exato! Você disse tudo. É muita coisa, vindo o tempo todo de todos os lados. E aí você vê alguma coisa que pode ser aproveitada e logo quer usar e experimentar e trazer aquilo pro seu mundo e aí no meio do caminho aparece mais coisas e aí a gente fica quase louca... rs
      Hora de sentar e respirar. E voltar a realidade.. rs

      Excluir
  8. Oi Sana! Que post excelente - como todos os daqui, afinal. Ter um blog e ser alternativo é um grande desafio, e também à isso credito as dificuldades deles permanecerem no ar por bastante tempo, ou não perderem sua identidade. No meu blog eu sinto que se não me render nem um pouco que seja ao mainstream, não vou conseguir mantê-lo por muito tempo. É triste, mas é a realidade e a vejo sendo compartilhada por muitos outros blogs que abraçam a moda alternativa e o universo alternativo como um todo. O público que acessa aos blogs está mais interessado em conteúdo rápido e descartável.
    Outro ponto que achei muito interessante - tuas falas sobre as subculturas hoje. Eu mesma não me encaixo numa subcultura fechada, mesmo tendo uma grande paixão pelo gótico - mas parece que hoje em dia é "cool" se dizer alternativo, assim, sem se identificar com nada em específico. "Ser alternativo" virou um rótulo para dizer que você "não é como os outros" - seja lá o que isso signifique. E eu, como sendo uma pessoa jovem, vejo muito desprezo por parte dos mesmos pelas pessoas que se identificam com uma subcultura fechada e a seguem fielmente. Parece que isso vira motivo de deboche, sabe? Como se fosse ridículo se dizer gótico, metalhead, grunge ou o que quer que for. Enfim, as coisas mudaram e nem todas as mudanças foram boas.
    Ansiosa pelo próximo post. Teu blog é um dos poucos que visito todos os dias, mesmo que não tenham posts novos.
    <3

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigada Bruna!
      Também visito direto o seu e adoro seus looks! :D
      u acho que é justo uma blogger promover lojas se ela curte isso, a gente sabe as dificuldades das lojas alternativas que são pequenas e ralam pra se manter no mercado, nem todas podem arcar com esse gasto extra de publicidade em blogs! aí acaba que são as lojas mainstream que tem mais poder $$$ pra oferecer esse tipo de patrocínio.
      O bom no seu caso é que as lojas mainstream que são suas parceiras vendem algumas peças inspiradas no alternativo, aí você consegue misturar seu estilo com as peças delas. Mas nós aqui do MdS já recebemos propostas de lojas mainstream absolutamente NADA a ver com o perfil do blog, claro que dá uma coçadinha porque são propostas muitos boas, mas aí a gente percebe que iria destoar muito do conteúdo e é melhor não ter certas publicidades do que ter.

      Olha, eu peguei uma geração de transição. Tem gente da minha idade que é de subcultura e tem gente que não é.
      Acho que o que te define como parte de uma subcultura, é a música que vc ouve. Por exemplo, se você ouve música metal, você tem grandes chances de se identificar com o visual além da música. Mas isso não impede de você, sei lá... ouvir MPB. Porque música é algo também muito sensorial. E música boa tem em todos os gêneros.

      O que noto é que tem muita gente que ama a estética gótica/obscura, mas não curte música gótica. Então, essas pessoas não são góticas no sentido de pertencerem à subcultura gótica. Gostar de coisas obscuras (também a estética) independe de ser parte de alguma subcultura, uma pessoa pode gostar de Poe e Família Addams e ser fã de Hard Rock por exemplo, porque tanto a literatura do Poe quanto os Addams não são propriedade da subcultura gótica... e assim vai.

      Talvez as pessoas tenham medo de se dizerem parte de subculturas por não quererem mais ser parte de um grupo, talvez temam por suas individualidades? Talvez tenham ignorância a respeito das subculturas? Enfim, muitas possibilidades, seria até legal conversas a fundo com elas e tentar descobrir! Eu adoraria!

      Excluir

Obrigada por comentar! As respostas serão dadas aqui mesmo, então não esquece de clicar no botão "notifique-me" pra ser informada.

comments powered by Disqus
Pin It button on image hover