.Moda de Subculturas - Moda e Cultura Alternativa.: Março 2014

30 de março de 2014

A História da Manic Panic

"Em 1977, nós éramos as esquisitas do mundo, a escória da terra, as pessoas não entendiam nosso look, pensavam que éramos prostitutas, eles não entendiam mesmo nossa estética! As pessoas costumavam gritar quando nos viam, chegamos a apanhar. Hoje, pessoas vão pra escola ou pro trabalho com looks extremos e isso é mais aceito."

tish snooky manic panic


A Manic Panic e suas proprietárias, as irmãs Tish e Snooky, não são apenas parte da história das tintas de cabelo coloridas, mas também são parte da história da cena Punk Rock americana. De lojinha punk à empresa multimilionária, neste post apresentamos uma completa biografia de uma das mais bem sucedidas e influentes lojas alternativas do mundo.

Aos 56 e 58 anos, as irmãs Tish e Snooky são ícones da primeira geração de punks e confirmam: "60 anos é o novo 30!"



O Início
Tish e Snooky viviam tão grudadas que foram apelidadas de "irmãs siamesas" por um amigo de infância, que acabou virando um dos membros da banda de Alice Cooper. Pobres, as irmãs moravam no Bronx. Na época do glam/glitter rock elas começaram a frequentar bares. Se maquiavam no metrô, escondiam os sapatos no mato, vestiam salto stiletto e esperavam alguém pagar drinks pra elas já que não tinham dinheiro.
Foram incentivadas às artes, música e negócios pela mãe. Sendo assim, a dupla fundou a banda Sic F*cks e em 1974 já se apresentavam em bares, vestidas em brilhos e plumas, afinal, era a época do Glam Rock! Tish estudou Moda e as irmãs enlouqueciam o público com figurinos super criativos, diferentes e selvagens para a época, tanto que chegou num ponto que as pessoas iam aos shows só pra ver o que elas estavam vestindo.
Perucas coloridas, meias arrastão, saltos altos, maquiagens excessivas... Snooky chegou a usar vidros de janela (daqueles quadrados mesmo) colados nas pernas! Tish usava um uniforme sangrento de enfermeira com chapéu e peruca lilás. A própria mãe delas fez um figurino que consistia de plástico (que acharam jogado no lixo) preso na cintura com um cinto de fita auto colante acompanhado de uma machadinha nas mãos. Um dia, a mãe teve a ideia de que elas deveriam se vestir como freiras...
* N.do.A: os looks (enfermeiras sangrentas, freiras) podem parecer super normais agora, mas em 1970 não eram, elas devem ter sido das primeiras alternativas a usar estes tipo estética.
Freiras punks detonadas, as irmãs cantam na Sick F*cks até hoje.

Num dado momento, a cena começou a mudar. Nesta época, as irmãs eram cantoras da banda Blondie, junto com Debbie Harry. O Glam Rock se enfraquece e começa-se a transição para os primórdios do que viria a ser o Punk Rock. Tish e Snooky frequentavam o CBGB, até que um dia viram um dos primeiros shows da banda Ramones. Elas acreditam ser as primeiras fãs femininas da banda, pois iam todas as vezes que eles se apresentavam, na casa quase vazia.

As irmãs no Blondie com Debbie Harry

Em termos de moda, a época era confusa. Elas contam que houve um momento em que ninguém sabia o que vestir, se se mantinham nas plataformas glam, se ficavam no glitter ou iam pro couro, renda e spandex, típicos do punk...


O Surgimento da Manic Panic
Por causa de suas carreiras de cantoras e performers, as irmãs sempre usavam figurinos incríveis criados por elas mesmas. E notaram que algumas pessoas começaram a imitá-las ou questionavam onde elas tinham comprado tais peças. Elas então decidiram "vender o próprio estilo". Tomam a iniciativa de abrir a própria loja pra vender somente o que gostavam e o que usavam.  Foi a mãe que nomeou a empresa como "Manic Panic".
A loja foi aberta em 07/07/77 e é considerada a primeira loja punk dos EUA. Era localizada na St. Marks Place, uma rua desolada e sem nada acontecendo ao redor. Como vizinhos, lojas vintage e dezenas de espaços vazios. O aluguel era barato e como a economia dos EUA ia mal, havia vários criminosos e drogados ao redor. A loja era um paralelo à carreira de cantora das duas.


Vocês se lembram da postagem sobre Baby do Brasil? Baby comprava suas tintas na Manic Panic. Será que ela foi a primeira cliente brasileira da loja? =D

 A loja original da Manic Panic e as irmãs em várias fases.

Na loja, vendiam roupas, calçados, acessórios de rock, figurinos pra palco, tudo o que gostavam junto com suas próprias criações. Iam pra Inglaterra comprar coisas que ainda não eram vendidas nos EUA. Embora houvesse pouca variedade e quantidade de coisas à venda, a loja chamou a atenção por ser a primeira loja alternativa punk rock da cidade. E foi bem recebida pelos punks porque era "real" e única. Aos poucos a foram contratando funcionários, um deles foi Hawie Pyro que acabou virando membro da banda Danzig. Anne Magnuson e Helen Wheels também trabalharam lá.
Tish e Snooky admiram e tem um carinho especial por Patti Smith, "Ela foi de fato a primeira mulher punk rocker. Ela é autêntica, independente, forte. Vinha à nossa loja e deixava poesias autografadas pra gente vender e pagar nossas contas!"

Com o sucesso, lojas do bairro começaram a imitá-las e vender os mesmos produtos. As irmãs dizem que sofreram discriminações e sexismo por causa de suas roupas e por serem mulheres de negócios. Ninguém as levava à serio e as pessoas exigiam falar com "o" dono. As lojas similares tinham como proprietários homens de negócio e não roqueiros. E essa era a diferença! Como roqueiras, cantoras e estilistas, elas sabiam muito bem o que o público queria. As lojas concorrentes enviavam espiões e as únicas coisas que os concorrentes não conseguiram copiar delas foram as tintas de cabelo e os cosméticos, porque os concorrentes, homens, segundo elas, não entendiam da área de beleza.

As irmãs acabaram por criar suas próprias tintas coloridas e também levam o título de primeira empresa alternativa de maquiagem! A Manic Panic também é a primeira loja alternativa a vender no mesmo espaço, sprays de cabelo coloridos, gels coloridos semi-pernanentes, mechas e perucas coloridas. "As tintas coloridas de cabelo já existiam, nós apenas as tornamos populares" diz Snooky.


Tish estudou moda e usava a Manic Panic pra vender suas criações. 
Uma delas é essa calça de couro com amarração lateral da foto abaixo.
*N.do.A: as autoras do Moda de Subculturas pesquisaram (dentro de todo nosso poder de alcance), a possibilidade de Tish ter criado esse modelo de calças. Pesquisamos moda alternativa e fetichista pré anos 70 e não encontramos nenhuma peça igual à calça citada, com as pernas à mostra. Deixamos nossa opinião em aberto, pois há uma possibilidade real de Tish ser a possível criadora desse modelo, ainda mais que, segundo elas, suas criações eram muito imitadas pelos concorrentes. Se você tiver alguma foto ou informação de uma calça semelhante (com a perna aparecendo), antes de 1970, será interessante nos informar!

A Manic Panic é considerada a primeira empresa de cosméticos e maquiagens voltada ao público alternativo. 
Abaixo, imagens do catálogo e produtos atuais.



Década a Década
1970
- Pintar os cabelos era uma forma inovadora de exibir uma identidade própria naquela época e Tish e Snooky entendiam bem da importância dos cabelos como forma de diferenciação. Considerada a primeira loja Punk de NY, a Manic Panic atraiu mídia e artistas devido aos produtos de estética rocker e tintas para cabelos com cores chamativas. Os punks foram os principais responsáveis pela proliferação da imagem dos cabelos coloridos e produtos cosméticos em cores diferentes do usual. A loja também inovou trazendo um senso de negócios, ou seja, já em 1977, a  moda alternativa já era vista com seriedade e profissionalismo pelas irmãs.

1980 - As tinturas da Manic Panic com todas as cores do arco-íris, contavam com uma linha de maquiagem e esmaltes combinando, o que fazia com que as clientes comprassem tudo lá. No final dos anos 80 a popularidade dos cosméticos e de tinturas de cabelo da empresa aumentaram. Ao mesmo tempo, a marca apareceu na moda mainstream e em páginas de revistas, TV e filmes. A pequena loja punk se foi, agora a Manic Panic se torna uma grande loja que também trabalha com atacado. 

Nas décadas de 80, 90 e 2000, a Manic Panic nunca parou de ganhar consumidores alternativos.


1990 - Na década de 90, as pessoas que riam da cara dos produtos da empresa começaram a clamar por eles. O interesse do mainstream pela marca foi surpreendente! Celebridades, rockstars, top models de todo o tipo procuravam os produtos da Manic. Gwen Stefani, Marilyn Manson, Green Day, AFI, Rancid, o jogador de basquete Dennis Rodman, foram apenas alguns dos que usaram a marca. A empresa explodiu em todo tipo de midia. Devido ao aumento exagerado do aluguel, as irmãs foram obrigadas a se mudar de St Mark’s Place pra um imenso armazém na cidade de Long Island.

 A loja/armazém atualmente.

2000 - Junto com o novo milênio, veio a ampla distribuição internacional de produtos. Embora outras empresas copiassem seus produtos, a Manic Panic já estava tão grande que os concorrentes não afetavam financeiramente a empresa. Segundo elas, "a imitação é a mais sincera forma de elogio. Nós nunca sonhamos que teríamos este grande negócio. Nós apenas amávamos o estilo Punk e queriamos compartilhar nossas idéias com as pessoas. Nós não apenas o vendiamos ... nós vivíamos! "
A loja passa aos poucos a transformar seus produtos em vegan e cruelty-free, um objetivo que tinham desde o começo. Assim, tiveram que reformular uma boa parte de seus produtos.
Nesta década, Emilie Autumn, Avril Lavigne, Gerard Way, Hayley Williams, Jared Letto, Kelly Osbourne, Pink, Christina Aguilera, Britney Spears são alguns dos clientes da M.P.

2010
Na década de 2010, no ano de 2012, as irmãs comemoraram os 35 anos de aniversário da loja e celebram o público diverso que  a conquistaram, não necessáriamente punks e góticos, há pessoas mais velhas, pessoas da cena club e techno assim como artistas e modelos.

Algumas artistas e modelos que sabe-se que usaram Manic Panic.


Na Moda Mainstream
As colorações da marca estiveram presentes em alguns desfiles, como Proenza Schouler, Giles, Alexis Mabille, Miu Miu e Giambattista Valli, Jean-Paul Gaultier, entre muitos outros! Rihanna, Lady Gaga e Katy Perry também usaram a marca assim como as mechas foram usadas em diversos editoriais.

Futuro da Empresa 
Gerindo uma loja alternativa há 37 anos, as irmãs dão o conselho de que as pessoas devem seguir seus sonhos e ser mais do que persistentes. Não aceitar não como resposta e ter a consciência de que ser dono de uma loja é trabalhar muito mais do que os funcionários. É normal nos primeiros anos a empresa não trazer lucro, tanto que as irmãs moraram anos com a mãe e só se preocupavam em pagar o aluguel da loja pra poder mantê-la às vistas do público. A divulgação da Manic sempre foi orgânica e é assim até hoje, não exigindo muito gasto das donas em promoção e divulgação.

Sempre juntas, apelidadas de "irmãs siamesas", Tish e Snooky também se vestem de forma parecida.

Tish e Snooky sonham em lançar um livro de beleza alternativa porque elas são as únicas na Lower Manhattan que vendem este tipo de maquiagem extrema e teatral. Sem contar que são mulheres, cantoras, performers e entendem muito de "assuntos femininos". Sempre estão desenvolvendo novas cores e produtos mas não tem tempo pra desenvolver mais porque a empresa não pára de crescer! Elas começaram com o equivalente a mil reais (250 dólares cada uma) e hoje são milionárias! Daqui há 10 anos elas querem ver a Manic Panic em todos os lugares. Acreditam que cabelos coloridos serão definitivamente algo mainstream e elas serão as fornecedoras deste look. Seja lá o que for o alternativo daqui há 10 anos, elas vão ajudar as pessoas a terem o look desejado.

O site, blog e loja da Manic Panic tem uma aparência super "old school". E não parece ser proposital. Enquanto as lojas "branqueiam" e modernizam seus sites e blogs porque é isso que atrai o mainstream e consumidores não-alternativos, a Manic continua com seus sites do mesmo jeitinho de muitos anos atrás. É a prova de que certas coisas tem uma imagem tão forte e caminham com suas próprias pernas, que manter seus sites com uma estética mais dark e alternativa não altera seus lucros.

Essa foi a história das irmãs Tish e Snooky que abriram a primeira boutique punk nos EUA e viram seus estilos evoluir de anti-fashion para mainstream.
Esta extensa pesquisa foi feita com muita dedicação (demorou meses!) pelas autoras do blog: Sana e Lauren. Agradecemos quem chegou até aqui e leu tudinho! =)

Alguns posts com cabelos coloridos além do já citado post da Baby do Brasil:
- As origens dos cabelos em tom pastel 
- Pastel Goth
- Scene Kids
- Estilo: Charlotte Free

Desfile: Alice Auaa out/inv 2014

Eu estou absolutamente apaixonada pelo desfile mais recente da marca Alice Auaa! A marca já é conhecida por incorporar elementos S&M nas coleções assim como silhuetas estruturadas.
A marca abriu suas portas em 1993, na cidade de Kobe no Japão, sob o nome de "Alice in the Modern Time". Se auto proclamavam uma espécie de "London Underground" e apoiavam eventos punks e new wave. A loja de Kobe fechou e uma outra foi reaberta em Osaka sob o nome de "Alice and Laboratory" em 1996. Devido à seu trabalho extremamente original de modelagem, os preços da marca são altos, o que lhes rendeu o apelido  de "A Chanel do Gothic Lolita".
Atualmente a Alice Auaa é uma das marcas góticas mais populares  do Japão. Yasutaka Funakoshi é o estilista que colocou neste desfile de outono/inverno 2013, modelos mascaradas e roupas que lembram samurais. Cortes de alfaiataria desconstruída, corsets, babados, studs, tiras e muito couro lembrando um pouco a estética punk. 

alice auaa gothic alternative fashion
 
 
 
 

Editorial: My Little Pony (com Audrey Kitching)

A Scene Queen Audrey Kitching (criadora do Trashy Style) e que já esteve aqui no blog também no post sobre Moda Alternativa para os Scene Kids é a estrela do editorial "My Little Pony" da Haunt Magazine.
O editorial mistura o colorido que já era o estilo da Audrey desde os seus tempos de celebridade do Myspce + um pouco de Kawaii + cabelos pastel. Eu adorei as fotos e alguns brinquedos que eram comuns pra quem foi criança na década de 80. Embora não use coisas assim coloridas, acho lindo os alternativos que se identificam e que usam e abusam das cores! E a audrey tá ficando mais velha e cada vez mais bonita!

audrey kitching alternative fashion editorial
audrey kitching alternative fashion
audrey kitching alternative fashion
audrey kitching alternative fashion
 audrey kitching alternative fashion

Review: Blusa Black Frost 119

E lá venho eu com mais um review de uma blusa da Black Frost! Na verdade, a qualidade da marca já é comprovada e fica complicado não se repetir nas minhas opiniões, que costumam ser positivas!
O review de hoje é da blusa 119, essa belezinha aí de mangas compridas e que formam uma luva na ponta!

Black-Frost-Blusa-119

Essa é a hora perfeita pra comprar as blusas de manga comprida da Black Frost. O outono acabou de começar e a gente sabe que em certas regiões mais sulistas deste país, o friozinho vai começar a bater em breve. Então, é bom já ter uma peça estilosa pronta pra usar! Eu já tenho a blusa 123 em veludo e acho que ela é uma ótima opção também!

A blusa veio embrulhadinha, como um presente e a BF sempre manda um monte de cartões de visita! O legal é que quando alguém pergunta onde tem a peça pra vender, a gente pode dar o cartãozinho pra pessoa ^^


A blusa é em malha cirrê, que de longe dá aquele brilho meio vinil, látex... tem manga longa que forma uma luvinha no punho (ótima pro frio né?), o decote é regulável por ilhóses, você pode usar mais aberto ou fechadinho.

blusa-black-frost-119

O fecho frontal em ziper é muito prático na hora de vestir. A peça é acinturada, o que permite que se encaixe muito bem no torso sem a necessidade de amarrações atrás, é bem justinha, o que é bom porque no frio a gente sempre usa uma jaqueta ou casaco por cima. Existem detalhes em matelassê na diagonal, esse tipo de corte dá a ilusão de cintura mais fina.

review-blusa-black-frost-alternative-fashion

As blusas da Black Frost são sempre associadas com leggings. Mas eu gosto de experimentar e especialmente, de usar as peças da marca com saias! Eu montei um look com esta blusa usando uma saia, vocês podem ver o look no meu blog pessoal, o Diva Alternativa! Não deixem de visitar! Clique na imagem pra acessar o link ou aqui: http://diva-alternativa.blogspot.com.br/2014/03/look-dark-shine-blusa-black-frost-bota.html

http://diva-alternativa.blogspot.com.br/2014/03/look-dark-shine-blusa-black-frost-bota.html

- Outros posts e reviews da Black Frost
- A Black Frost no Diva Alternativa


21 de março de 2014

Editorial: Electric Witches

Editorial da fotógrafa Danielle Levitt. Esse editorial é um mix de estética pós-punk, gótica e também de um gótico mais pós moderno cheio de cores claras,coroas de flores, influência Hipster. Finalizando com uma foto muito punk com cores fortes e animal print!
Não preciso dizer que tenho tendência a gostar mais dos looks all black, mas em cada foto, isoladamente, um elemento me atrai... os de couro e vinil! Eu amo essa estética fetichista de preto, alfinetes, studs! Em algumas fotos vemos saias de tule, cuja história eu contei [neste] post e tem tudo a ver com a moda das subculturas.

 


LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
Pin It button on image hover