.Moda de Subculturas - Moda e Cultura Alternativa.: A falta de cultura de moda e suas consequências

4 de maio de 2015

A falta de cultura de moda e suas consequências

Ao ser lançado um novo acessório no Mercado, observamos a quantidade de comentários negativos advindos do design inusitado da peça. Surgiu então a vontade de se pensar mais sobre o assunto.
O âmbito não é discutir gosto, pois lógico, cada um tem o seu. E sim querer trazer informações de moda que talvez possam ajudar a compreender o conceito de um produto, ou até mesmo a irreverência de uma pessoa. A falta de informação, seja de qualquer assunto, nos torna mais vulneráveis, principalmente a cometer julgamentos errados. Por isso é sempre bom tentar desmistificar o que se desconhece.

Cultura de Moda
Acredito que seja de senso comum a importância da cultura numa sociedade, pois ela está entre os pilares da educação. E o mesmo vai ocorrer quando se refere à Moda. Pode parecer fútil reclamar da não valorização da cultura de moda num país onde a educação é tão precária, só que não é bem assim quando se conhece a profundidade do tema.
A falta de entendimento da área - igual a da cultura em geral - abre portas para intolerâncias sociais, que em casos extremos, pode levar até a morte. Alguns exemplos de atitudes reproduzidas:
- desrespeito à identidade visual de cada ser humano (sabe quando você usa algo incomum e ficam apontando e rindo?);
- desconhecimento do seu próprio estilo acarretando inseguranças estéticas, chegando ao ponto de ser facilmente convencido por opiniões alheias do que deve ou não usar;
- desvalorização de sua própria cultura por vira latismos;
- desconhecer sua voz e não questionar as armadilhas do mercado;
- ser levado pelo excesso de consumo e modismos por pensar que esse é o único meio de “estar na moda”, tornando-se uma fashion victim (vítima da moda).

 "Sem mais vítimas da moda", é o que diz a camiseta da estilista e ativista inglesa Katharine Hamnett


Moda conceitual x Comercial
Questão que causa bastante dúvida aos que estão do lado de fora do mercado. Vamos pegar o caso dos desfiles. A diferença básica entre moda conceitual e comercial é que uma está focada no conceito e outra mais em vendas.

Sabe aqueles looks que você pensa “mas que diacho é isso, quem é que vai usar um treco desses?”, então, o intuito dessas peças não é necessariamente o uso, seu grande foco é mostrar até onde vai a capacidade de criação de um designer. Mas o fato de ser conceitual não significa que não possa ser utilizada. Como dito no post O que é moda alternativa?, há pessoas com forte senso artístico e não possuem medo em ousar. Um belo exemplo: Lady Gaga.

Essa é uma moda que causa muita polêmica no meio, pois diversos estilistas consideram desnecessário a sua abordagem, já que moda significa business (vendas), e deve ser focada em agulha e linha e não em show. Se moda conceitual é relevante ou não para o mercado, aí vai depender da crítica de cada um.

Lady Gaga vestindo Comme des Garçons Inverno 2012

A editora de moda Anna Dello Russo com Moschino Inverno 2014


O lugar da Moda Alternativa
Apesar de existir alternativos de todos os estilos, a moda alternativa se encaixa no conceito do irreverente.  
E o que é irreverente na Moda? É uma estética que abandona o senso comum, está em busca de novas formas, fugindo dos modismos. Pode ser denominado de exótica, quando querem elogiar, ou de bizarro, quando partem para o insulto (se bem que nos chamar de bizarro é até um elogio, rs).

Pessoas com estilo irreverente são minoria, mas isso não diminui sua importância, pelo contrário, detém enorme destaque no mercado já que são as lançadoras de tendências. Como não gostam de usar o mesmo que a massa, procuram se diferenciar criando o que será no futuro novos modismos. A moda japonesa é uma boa demonstração desse fenômeno.

Alternativos também não curtem se vestir igual a massa, repare que somos atraídos por peças consideradas incomuns, ou conceituais, como explicado acima. Aquela bolsa em forma de morcego, um guarda-chuva com desenho de pentagrama, chapéu com contornos de teia de aranha... A moda alternativa está inserida na moda conceitual, não à toa, estilistas com background alternativo são grandes criadores de tendências (Marc Jacobs, Nicola Formichetti, Riccardo Tisci, Gareth Pugh e outros).

"Os movimentos sociais, impregnados de novidade na maneira de se vestir e de se comportar, acabam inevitavelmente gerando algum tipo de identidade visual que, por sua vez, é logo absorvida e transformada em elementos de moda. Incentivados pelo consumo e pelo sistema capitalista, o visual de roqueiros, beatniks, mods, hippies, punks, darks, góticos, clubbers, ravers, yuppies, skatistas, cybermanos e tantas outras tribos sociais acabaram sempre a serviço da gulosa e inconstante Moda."   Dicionário da Moda de Marco Sabino

Acredite: o que você acha esquisito hoje, amanhã poderá estar louca para comprar um! Acessório de cabelo com formato de orelha de coelho no desfile Louis Vuitton e amenizado pela Urban Outfitters

Alternativos são atraídos por peças irreverentes e conceituais. Produtos Miniminou


Look do Dia
O Look do Dia deveria ser uma vitrine de estilo e não de cópia completa, ou seja, no sentido de querer ser totalmente igual a blogueira em questão. Para um alternativo desprendido de regras pode parecer uma obviedade, porém, quando olhamos amplamente, percebemos que muita gente é facilmente induzida a querer aparentar quem não é, o que implica na falta de autoestima. Infelizmente no Brasil isso é bem comum, já que o sentimento de inferioridade atinge a nossa construção social.

Ao contrário da vibe tupiniquim, as estrangeiras posam para seus Looks do Dia sem muitas pretensões. Não costumam seguir tendências, raramente fazem parcerias com marcas e estão adaptadas ao ambiente em que vivem (um fator importante!). Estamos muito acostumados a olhar para o exterior e é necessário certa cautela, pois há grandes chances de frustração devido o nosso modo de vida ser diferente. 

Um punk americano não é igual ao inglês, a mesma coisa com um gótico alemão e um sueco. E por que deveríamos ser iguais? Claro que isso não impede de usar algo que lhe atraia esteticamente, gosto é gosto. Mas por exemplo: eu só uso roupa preta e me mantive assim mesmo com a sensação térmica de 50 graus na minha cidade em pleno Verão. Continuei com o meu gosto, o meu estilo, só que com adaptações. O importante é ter consciência pois assim você cria caminhos de manter a sua estética e não abandoná-la.


Alternativas internacionais: estilo próprio acima de tudo

Para terminar, é bom lembrar que foi se o tempo em que ter cultura de moda pertencia a elite. Pela internet, encontramos livros onlines gratuitos, sites e blogs muito bons com esse tipo de conteúdo. O Brasil é o país com a maior quantidade de universidades de moda do mundo, tá mais do que na hora de mostrar essa nova cara. Contamos com vocês! ;)


Gosta do Moda de Subculturas?
Acompanhe nossos links:
Google +   Facebook   Instagram   Bloglovin´ 


  • 4Blogger Comment
  • Google+ Comment
  • Facebook Comment
  • Disqus Comment

4 Comments

  1. Isso me faz pensar sobre o fenômeno do "estilo festival" que entrou em voga, quando antes não era comum. Deram o nome de boho chic, e dá-lhe produzir peças em larga escala.
    A moda é sim uma ferramenta de cultura e convívio social, que merece atenção por ser uma manifestação do indivíduo. E é poderosa.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Bem observado Vívien!! O boho-chic hoje já está bem massificado...
      A Moda é super poderosa mesmo, fico feliz de você perceber isso, porque nem todo mundo se dá conta de o quanto a Moda "manipula" nossa vida e nossos gostos e a cultura de moda é pra isso mesmo, pra gente ver a moda com outros olhos, aproveitar ela da melhor forma possível! ;)

      Excluir
  2. Infelizmente estamos vivendo no Brasil um período muito pobre na moda, no meu ponto de vista, é tudo tão padronizado: cabelo igual, cor e corte igual, peso e corpo igual. Perdeu-se a personalidade e a originalidade sei lá o povo parece que gosta de ser manipulado até no que vestir.

    ResponderExcluir
  3. Excelente post, como sempre!
    Acho que por isso fui atraída pro mundo da moda alternativa, por poder usar coisas diferentes sem me preocupar se era tendência, conceitual, bonito ou bizarro. Quero mais é ser livre dessas amarras que ditam como cada um deve ser/vestir/pensar.

    Também acho super importante essa discussão sobre cultura de moda, porque dá pra ver como as pessoas são influenciadas e manipuladas em várias áreas diferentes apenas pela moda.

    bjin

    http://monevenzel.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir

Obrigada por comentar! As respostas serão dadas aqui mesmo, então não esquece de clicar no botão "notifique-me" pra ser informada.

comments powered by Disqus

LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
Pin It button on image hover