.Moda de Subculturas - Moda e Cultura Alternativa.: Joseph Corré e a queima de 5 mil libras de acervo da história do Punk!

16 de março de 2016

Joseph Corré e a queima de 5 mil libras de acervo da história do Punk!

Joseph Corré, filho de Vivienne Westwood com Malcolm McLaren, está dando o que falar na mídia britânica. A repercussão se deve a recente declaração de que irá queimar todo seu acervo Punk, uma coleção estimada em cinco milhões de libras. A reação polêmica é motivada por sua indignação perante ao que se transformou a subcultura nas últimas décadas.
 

No dia 26 de Novembro, será comemorado os 40 anos do álbum Anarchy in the Uk, dos Sex Pistols. A data também marca o início do movimento punk na Inglaterra, o que vem gerando uma série de manifestações culturais em todo o país. Só que isso não tem agradado a todos. 

Em comunicado a imprensa, Joe, como é conhecido, mostrou irritação ao saber que certas instituições acadêmicas foram financiadas para promover eventos em homenagem ao dia. Sua desconfiança é ainda maior ao saber que o grande alvo da contra-cultura, aprova a comemoração. "A Rainha oferecendo a 2016, o Ano do Punk, sua benção oficial é a coisa mais assustadora que já ouvi", diz.

O artista inglês Jamie Reid foi quem criou o mais icônico single da era punk: uma imagem da Rainha feita pelo fotógrafo Cecil Beaton estilizada pelo anarquista

De fato é realmente estranho quando se conhece a história da subcultura. Foi na Inglaterra que o Punk se aliou de vez com a política pois o país enfrentava uma recessão econômica que afetava diretamente a classe operária. Os jovens estavam desempregados e sem visão de futuro, enquanto os ricos comemoravam o Jubileu de Prata da Rainha Elizabeth II com grande ostentação. O No Future era uma realidade amarga e assim o Rock e o Anarquismo surgiram como uma luz no fim do túnel. Anti-monarquistas assumidos, uma afronta na época, transformaram a Família Real na fonte de deboche deles. 

Na imagem de 1977, Debbie Juvenile, tentando levantar Vivienne Westwood caída no chão, e outros punks sendo presos na festa que os Sex Pistols promoveram ao single "God Save the Queen" no mesmo dia que Londres comemorava o Jubileu de Prata da Rainha.
Via Daily Mirror

Interessante é que Corré enxerga pontos semelhantes entre 2016 e 1976 (ano em que o punk explodiu). "Um mal-estar geral tem estado agora entre o público britânico. As pessoas estão se sentindo adormecidas. E com o adormecimento vem a complacência. As pessoas não sentem que eles têm mais uma voz. A coisa mais perigosa é que tenham parado de lutar por aquilo que acreditam. Desistiram de correr atrás. Precisamos explodir toda essa merda mais uma vez", declara. 

Joé que criou a marca Agent Provocateur, convoca que outros também o acompanhem e destruam suas coleções no dia da comemoração. Não sabe ao certo se ele realmente terá coragem de queimar, afinal é um acervo histórico. Talvez seja só uma atitude extrema para resgatar o questionamento de uma ideologia perdida por sua cooptação. "Fale sobre a cultura alternativa e punk sendo apropriada pelo mainstream. Em vez de se falar num movimento de mudança, o punk se tornou a porra de uma peça de museu ou um ato de tributo.", desabafa. 


 ***

A fala de Joe é uma boa deixa pra gente refletir
sobre nossa própria relação com a cultura alternativa, com o desrespeito à história das subculturas, com a venda de suas estéticas
amenizadas pelo mainstream e até mesmo sobre o desinteresse da geração jovem por culturas de rebeldia. O legado da estética punk é tão grande que vai de pulseiras-gargantilhas de spikes, harness/arreios, mistura de estilos diferentes num mesmo look, customização, maquiagem exagerada... quem nunca fez uso desta herança, não é mesmo? 
Embora tenhamos muitos artigos sobre a apropriação das subculturas pelo mainstream, deixo aqui alguns que consideramos mais aprofundados, quem se interessar, é só dar um clique:
- Subculturas Alternativas: Elas Ainda Existem? (Parte 1)
- Subculturas Alternativas: A Monocultura (Parte 2)
- Subculturas e o conceito de individualidade (parte 1) - A liberdade de escolha! 
- Subculturas e o conceito de individualidade (parte 2): A autenticidade é uma moeda poderosa.
- Subculturas e o conceito de individualidade (parte 3): O revivalismo nostálgico 
- "O Heavy Metal é muito mais do que uma estampa em lojas de departamento"
- O que é Gótica Suave e porquê este estilo (ou termo) incomoda os góticos?



Acompanhe nossas mídias sociais:
Instagram ☠ Facebook ☠ Tumblr Pinterest  ☠ Google +  
  • 2Blogger Comment
  • Google+ Comment
  • Facebook Comment
  • Disqus Comment

2 Comments

  1. Não sei se já viste, mas há dois documentários interessantes sobre o punk: The Decline of Western Civilization, part 1 e 3, (a 2 é sobre o heavy metal)...

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Sim, conheço estes docs!
      Aviso: leia os "Termos de Uso" do blog (link no menu fixo acima) na parte de "comentários". Repare que o modo anônimo não se encaixa pra esse tipo de comentário. Por favor, respeite a regra de uso do blog. Em breve esse comentário será deletado por isso, ok?

      Excluir

Obrigada por comentar! As respostas serão dadas aqui mesmo, então não esquece de clicar no botão "notifique-me" pra ser informada.

comments powered by Disqus

LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
Pin It button on image hover