Destaques

29 de julho de 2018

O que é K-Pop? A história do surgimento do estilo musical que dominou o mundo.

No segundo semestre deste ano, pelo menos nove bandas de K-Pop aterrissarão em solo brasileiro. O gênero tem alcançado imensa popularidade mundial. A história do K-Pop é mais uma amostra de como uma subcultura musical pode influenciar a sociedade, provocar mudanças nos hábitos, na moda e comprovar seu valor cultural.
2NE1  / Divulgação


A história do estilo musical se relaciona com jovens tendo participação ativa em momentos em que um sistema político e social necessita de mudanças. No caso, um sistema ditatorial que dizia o que as pessoas da Coréia do Sul deveriam ouvir: músicas patrióticas contratadas pelo governo (chamadas de "músicas sadias") de temas inocentes ou sobre o amor à pátria.

Tudo começou a mudar no ano de 1992, quando o grupo Seo Taiji & Boys se apresentou na televisão coreana, mostrando de forma inovadora mash-ups de rap e pop, sonoridades orientais e ocidentais misturadas e coreografias enérgicas baseadas em movimentos de hip-hop. O grupo chocou a sociedade e fascinou os jovens. A música era "Nan Arayo" e ficou no topo das paradas por 17 semanas. 


Seo Taiji & Boys / Divulgação

Como um cantor de Heavy Metal criou o K-Pop moderno?
Seo Taiji  tinha uma banda de heavy metal chamada "Sinawe", antes de fundar o grupo que daria origem ao K-Pop moderno. O lado rebelde do cantor era forte e talvez tenha sido exatamente essa rebeldia que possibilitou Taiji de inserir elementos do Rock n´ Roll nos álbuns seguintes, o que gerou censura dos canais de TV, que não concordavam com o visual de jeans rasgados e brincos dos músicos. Sem se intimidar, o terceiro álbum de Seo Taiji & Boys tinha rock alternativo e até mesmo Heavy Metal, como vemos na música “Kyoshil Idaeyo” (veja vídeo abaixo) com vocal gutural e crítica ao sistema de ensino coreano. Na época, o grupo foi até mesmo acusado de satanismo. O quarto álbum teve censurada uma música que criticava o governo, mas o 'estrago' já estava feito: uma geração de jovens não aguentava mais os governantes decidindo o que deviam ou não escutar, o que de certa forma pressionou as mudanças sociais que viriam a ocorrer. Naquela altura, o K-Pop já havia conquistado seu espaço. Após o término do grupo, Seo Taiji voltou a cantar rock e o colega Yang Hyun-suk fundaria a YG Entertainment, uma das mais importante criadoras de ídolos K-Pop.





Com a Coréia pronta para uma mudança cultural, a repressão ditatorial se afrouxava, permitindo uma abertura para novidades. O sucesso de Seo Taiji & Boys representava essa mudança e logo seriam copiados por outros grupos, embora a dança ainda fosse vista socialmente com uma visão muito negativa. A influência dos meninos na moda foi tanta que tudo que eles usavam (roupas largas em estilo rap e hip-hop) era adotado pela juventude. Dentre os novos grupos que surgiram estava H.O.T., criado por Lee Soo Man, onde os garotos se apresentavam usando roupas de ski e dançavam ao som de hip-hop, pop e dance. Nunca roupas de ski foram tão consumidas pelos adolescentes. 


H.O.T. / Divulgação


Surge a Cultura de Exportação
Com a crise econômica do fim dos anos 1990, a Coreia decide fazer da cultura sua indústria de exportação e passa a investir no segmento artístico. Em meados da década de 2000, o "Korean Pop" se torna amplamente corporativo, um grande negócio. Gravadoras como JYP, YG e SM Entretaiment fazem uma busca por jovens que passam por um treinamento de aproximadamente cinco anos e ficam conhecidos como Idols (ídolos) e conseguem angariar seus próprios fãs que torcem por seu sucesso. Neste processo, os jovens aprendem a cantar, atuar, dançar e montam grupos, sempre supervisionados pela gravadora que mantém com eles um contrato restrito, método que gera críticas já que os jovens desde cedo recebem pressão psicológica e pressão do mercado, aceitando tais contratos por buscarem ascensão social e fama muitas vezes gerando depressão e suicídios. O plano de governo deu certo e desde o fim da década de 1990, o K-Pop se espalhou pelo mundo na chamada “Hallyu”, a “Onda Coreana”. Junto da expansão da música, veio junto moda, comportamento e consumo. 


Características

O K-Pop é caracterizado por uma mistura de sonoridades ocidentais e orientais, uma música tem pelo menos três estilos sonoros diferentes: pode começar com pop, passar para rap e finalizar com hip-hop por exemplo, as possibilidades de mistura são muitas. Embora as músicas sejam cantadas em coreano, sempre há uma frase em inglês para ser 'entendida' pelos estrangeiros, que normalmente é parte de um refrão marcante. 

A música "I got a boy" da Girls´Generation 
possui uma mistura de mistura pop, rap e hip-hop.




Os grupos de K-Pop tem em média cinco membros e cada um deles tem uma 'personalidade', uma função específica dentro do grupo, seja para cantar em mais de uma língua ou para encarnar um personagem. Os artistas precisam ter uma atitude educada e manter a imagem longe de polêmicas. Os nomes dos grupos costumam ser acrônimos, para facilitar a carreira no exterior já que se torna desnecessário a tradução de um nome, como por exemplo DIP, JJCC e EXO, BTS. Os clipes possuem arte visual elaborada, com muitas cores e passos de dança extremamente sincronizados  que são imitados pelos fãs.



Moda
Na questão da moda, o K-Pop dita o que os jovens coreanos vestem. O estilo varia de grupo pra grupo, a estética é importante para a formação da identidade tanto dos cantores quanto do grupo em si. No início do estilo, as roupas formais se alternavam com a moda streetwear ocidental, mas com o passar das décadas, as roupas passaram tanto a ser tradicionais, quanto modernas, coloridas, em modelagens diferenciadas. As garotas preferencialmente usando roupas "girlie", bem sensuais e que exalam feminilidade; não é permitido visuais 'agressivos' ou estampas de frases atrevidas ou com palavrões, quando isso ocorre, logo os clipes são censurados ou modificados. A geração mais recente de grupos K-Pop é a que mais tem usado a moda como um forte veículo de comunicação, apostando em estéticas com cabelos descoloridos, conceitos futuristas ou fetichistas, calçados diferenciados. Três grupos merecem destaque: Big Bang, onde os cabelos tingidos e roupas com design provocaram uma mudança crucial na moda K-Pop masculina e as garotas de Girls´ Generation e 2NE1 que usam a moda como uma declaração. 2NE1, é uma das maiores influências na moda de rua coreana, a banda acabou em 2017, mas a cantora JC já fez até parceria com Jeremy Scott.

Um dos clipes mais famosos de 2NE1, 내가 제일 잘 나가(I AM THE BEST), apresenta as garotas vestindo roupas de inspiração fetichista, punk, heavy metal, clubber e futurista.




Alguns grupos e suas variadas estéticas:


G-DRAGON do BIG BANG é tão influente que tudo que ele usa é copiado. Já surgiu até uma categoria de Cosplay especializada no cantor.


BLACK6IX

GIRLS´DAY


GIRLS´GENERATION

BLACKPINK


 BIG BANG


K.A.R.D

 JJCC


SISTAR

MISS A


MOMOLAND


24K
2NE1 


AOA


TWICE

EXO


BTS



A indústria do K-Pop embolsa mais de 5 bilhões por ano! Não é de se duvidar que esta subcultura seja mundialmente a mais influente da atualidade.




Acompanhe nossas mídias sociais: 

Direitos autorais:
Artigo original do blog Moda de Subculturas. 
É permitido compartilhar a postagem. Ao usar trechos do texto como referência em seus sites ou trabalhos precisa obrigatoriamente linkar o artigo do blog como fonte. Não é permitida a reprodução total do conteúdo aqui presente sem autorização prévia. É vedada a cópia da ideia, contexto e formato de artigo. Plágios serão notificados a serem retirados do ar (lei nº 9.610). As fotos pertencem à seus respectivos donos, não fazemos uso comercial das mesmas, porém a seleção e as montagens de imagens foram feitas por nós baseadas no contexto dos textos. 

Comentários via Facebook

0 comentários:

Postar um comentário

Obrigada por comentar! As respostas serão dadas aqui mesmo, então não esquece de clicar no botão "notifique-me" pra ser informada.

Instagram

© .Moda de Subculturas - Moda e Cultura Alternativa. – Tema desenvolvido com por Iunique - Temas.in