.Moda de Subculturas - Moda e Cultura Alternativa.: 1945 - 1946: Le Théâtre de La Mode

15 de setembro de 2011

1945 - 1946: Le Théâtre de La Mode

Para complementar a leitura desta postagem, visite os posts:
Em 1939, haviam setenta casas de alta costura registradas em Paris. O crescimento dessa indústria foi interrompido pela ocupação alemã durante a 2º Guerra. Hitler queria tirar a alta costura de Paris e mudá-la para Berlim, mas Lucien Lelong, presidente da Chambre Syndicale de la Couture Parisien, se opôs dizendo: "É Paris ou nada". Isso fez com que diversos estilistas fechassem suas casas durante a guerra ou se exilassem.
Após o fim da Guerra, em 1945, os dias eram difíceis, cinco milhões pessoas estavam na miséria, racionamentos e sacrifícios eram exigidos dos cidadãos franceses, porém, existia uma "esperança de recuperar o paraíso perdido". Robert Ricci, filho da estilista Nina Ricci, o Governo e a Câmara Sindical da Costura Parisiense promovem um grande evento. A renda dos ingressos iria ajudar os necessitados e faria com que as profissões envolvidas com a moda demonstrassem que ainda estavam ativas.

Então, entre 1945 e 1946, a exposição organizada no Museu do Louvre foi chamada de “Le Théâtre de La Mode” (O Teatro da  Moda); teve grande repercussão e apontou o destino da costura parisiense após a Segunda Guerra Mundial. A exposição tinha o apoio dos principais estilistas franceses, como Balenciaga, Balmain, Dior, Givenchy, Jacques Fath e demonstrou o quanto eles e o governo estavam decididos a reestabelecer a indústria da alta costura no pós guerra. EUA e inglaterra já haviam começado a criar suas próprias industrias de moda cada vez mais independentes de Paris.

No “Le Théâtre de Ia Mode”, bonecas de 70cm de altura estavam vestidas com as mais recentes criações dos grandes nomes do luxo parisiense que trabalharam com um mínimo de tecido. 


Cada look tinha roupas de baixo e acessórios diversos. Quanto aos acabamentos, eram idênticos aos das encomendas das mais exigentes clientelas. Cada microscópico botão abotoava, minúsculos sapatos de couro levam a grife dos grandes bottiers, jóias acompanham os penteados.


Os artesãos e estilistas receberam total liberdade para criar os cenários e as roupas como quisessem. Os treze cenários variavam de: casa de ópera, baile, cenas de manhã, tarde ou noite; cada um deles funcionando como um espetaculo autônomo. A variedade de roupas podia ser mostrada no ambiente correspondente.
 

Haviam 237 bonecas. Cada casa de alta costura produziu de 1 a 5 looks que eram versões em miniatura da coleção de tamanho normal.  


Em 27 de março de 1945, a exposição deixa Paris inteira maravilhada. Mais de 200 mil pessoas visitaram o Théâtre. Uma grande soma de dinheiro foi arrecadada, reafirmando a existencia do luxo parisiense.
A esposição percorreu Barcelona, Copenhague, Estocolmo, Viena, Nova York. Em Londres, teve exibição privada para Sua Majestade a Rainha Elizabeth. As mulheres britânicas ainda estavam usando as típicas roupas roupas utilitárias e de aparência militar dos anos 40. O Teatro da Moda fez as casas de alta costura francesa prosperarem novamente.

No ano seguinte foi a vez do New Look de Christian Dior começar sua história de sucesso que influenciou toda uma geração.

Fonte: 
Texto: Livros: A Roupa e a Moda; A Moda do Século XX.
Imagens: Livro: Le Théâtre de la Mode.


  • 3Blogger Comment
  • Google+ Comment
  • Facebook Comment
  • Disqus Comment

3 Comments

  1. Nossa já tinha ouvido falar de alta costura, visto alguns modelos exclusivos, mas não sabia disso!
    Quem me der poder ver essa exposição, seria muito bacana ver as bonecas com os modelos!
    Muito chic mesmo!
    bjs e paz!

    ResponderExcluir
  2. Não tem como não ficar maravilhado *- * !!!

    ResponderExcluir

Obrigada por comentar! As respostas serão dadas aqui mesmo, então não esquece de clicar no botão "notifique-me" pra ser informada.

comments powered by Disqus

LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
Pin It button on image hover