.Moda de Subculturas - Moda e Cultura Alternativa.: Looks do Dia Alternativos: reais, comerciais ou idealizados? O que quer o leitor?

25 de dezembro de 2014

Looks do Dia Alternativos: reais, comerciais ou idealizados? O que quer o leitor?

Pessoas que apreciam estéticas alternativas, gostam de expressar sua individualidade através das roupas em looks únicos, autorais ou de acordo com as subculturas que são parte. 
Mas como os Looks do Dia (e as sugestões de compras da blogueira) podem funcionar pra esse público que, em sua origem, não gosta de imitar ninguém? 
E outra questão: o que o público alternativo quer ver nos looks de blogs alternativos? A realidade, o desejo ou o idealizado?


Muitos blogs com ênfase em publicidade e lifestyle (incluindo Looks), criam uma relação de vouyerismo e poder com suas leitoras. A blogueira detém o poder da vida ou objeto desejado e as leitoras, vouyers, recebem um estímulo de consumo à curto e médio prazo. Porém, devido aos publiposts, nem sempre há garantia de que você conhece bem a autora, surgindo assim, uma linha tênue de "ser ela mesma" e uma espécie de "fashion victim" que vende um produto.

Há quem diga que blogs sem looks da blogueira são impessoais. Eu não concordo. Sempre há a opinião do autor nos artigos e estes  indicam que tipo de assunto o autor gosta/tem interesse em abordar, revelando assim, um gosto pessoal. 
Quando se trata de Looks em blogs alternativos, sinto uma espécie de faca de dois gumes, não apenas porque Moda e tendências mainstream nunca estiveram tão poderosamente influentes dentro da cena alternativa quanto ao tema abordado [neste post], a questão de manter a autenticidade em meio aos merchans.

Existe uma linha tênue entre indicar uma peça num look (como você usaria) e a relação curta e efêmera de um leitor que viu a peça no look, não curtiu o jeito que foi usado e fica achando que aquela peça não compensa ser comprada. Quando se trata de moda alternativa, eu acredito que não podemos limitar o olhar do outro. Precisamos dar opções e deixá-lo livre pra decidir como usar algo. Dar referências e inspirações e não necessariamente ideias prontas do tipo "use assim", "use com isso" ou "como usar..."

 

Como os Looks e as sugestões de compras da blogueira podem funcionar pra esse público que, na teoria, não gosta de imitar ninguém? 

Acredito que possam funcionar como dicas e não como regra a ser seguida.

Nós prezamos muito que cada um desenvolva seu próprio estilo dentro da subcultura que faz parte ou se identifica. É preciso que haja o toque pessoal que é o que vai te diferenciar de outra pessoa com a roupa igual à sua. 
O produto que indico aqui pode não servir para seu estilo pessoal, mas uma visita ao site da loja pode te fazer gostar de outra peça ou lembrar de outra pessoa e assim você indica a loja à outra, formando assim, uma corrente de divulgação alternativa.

Um look pronto mostra como eu usaria a peça. Mas cada um tem seu estilo particular e precisa desenvolver sua criatividade sem se prender aos looks prontos. Há quem sofra de insegurança, pensando que se não usar a peça “x” que tá na tendência e que a blogueira está indicando, não estarão por dentro...
Não é estranho quando um alternativo não consegue montar os próprios looks? Não é exatamente o alternativo que usa a roupa que quer, como quer, sem ligar se tá de acordo com as regras ou não? De repente, os blogs também tem essa influência negativa de deixar quem é mais inseguro refém de uma aparência ideal e “correta”. 


O perigo das alternativas não questionarem a cultura de massa 
e continuarem externalizando machismo e gordofobia.

Um dos desafios dos blogs alternativos de Moda e Looks é não questionarem a cultura de massa. Espaços alternativos precisam ser questionadores, senão, não podem ser considerados "alternativos". Não podemos transmitir aos leitores, as mesmas neuras de moda e estilo que blogs mainstream passam, ao contrário, precisamos incentivar as pessoas a assumirem ser elas mesmas, independentes das opiniões alheias, não serem mais uma ovelha seguindo o rebanho.

Somos brasileiras e temos corpos (e cores) diferentes das Americanas e Europeias. Em redes sociais como Lookbook.nu e Instagram, status e popularidade se fazem importantes através de hypes e likes. É comum garotas brancas, magras e com pernas longas no lookbook.nu (site que inspira muitas blogueiras). E é possível que brasileiras queiram imitar seus corpos na ilusão de que a roupa cairá melhor. Será que além de criarem o “melhor” look pra ter mais likes e hypes, ao mesmo tempo, induzem-nos a desejar corpos idealizados que não são nosso padrão??
Estilos pessoais e patrocinados de blogueiras chegam a nós e por hábito, tendemos a usá-los como referência. Mas até que ponto queremos ser como elas? Como essa loucura de imagens e informações de um mundo “hemisfério norte” altera nossa própria visão de estilo?

É muito chato que garotas "alternativas" desejam ter corpos idealizados pelo mainstream. É como se anos e anos que as subculturas pregaram o “seja você mesma” tenham se convertido em “seja como a mídia quer que você seja”. É uma cultura que insistimos em copiar. Precisamos parar de copiar estéticas machistas, sexistas, gordofóbicas de fora e do mainstream! Nosso corpo é diferente, podemos ser estilosas, nós temos capacidade, não precisamos imitar o corpo de ninguém. 


As europeias têm um ideal de beleza de pernas longas, por isso usam e abusam de sainhas curtinhas, porque pra cultura mainstream delas, as longas pernas são sexies, estão nada mais nada menos do que mantendo um estereótipo de sensualidade regional. Porém, acho legal salientar que, ao contrário dos alternativos americanos que cada vez mais se rendem aos padrões da beleza mainstream, especialmente na Inglaterra ainda respeitam o verdadeiro conceito de alternativo, é bem fácil encontrar meninas fora do padrão corporal, publicando seus maravilhosos estilos em suas redes sociais.

Gordofobia zero! É preciso que fique claro que estilo próprio independe de "formato de corpo" ideal.

O que o público alternativo brasileiro quer ver nos looks de blogs alternativos:
 a realidade, o desejo ou o inalcançável?

Meses atrás fiz uma pesquisa de opinião no MdS e uma coisa que me surpreendeu foi a relação de amor e ódio dos leitores com a sessão "Look do Leitor". A ideia da sessão era publicar fotos de estilo pessoal que os leitores me enviavam. Claro, alguns se montavam, só que outros menos. Dentre os leitores que disseram adorar a sessão, gostavam porque os looks se aproximam da realidade mostrando como adaptar ao Brasil, pois os looks do exterior seriam "distantes" de nossa realidade. Os que não gostavam da sessão alegaram que os looks eram "muito simples". 
Então, pergunto: o que é um look alternativo simples? Temos que sair montados com vinil e bota de plataforma às 14h? A atitude conta muito num look alternativo. E como reclamar que os looks são muito simples sendo que muito do que se vê hoje são 200 garotas vestidas iguais com o "alternativo" de lojas de departamento? Looks simples e autorais não pode, mas looks fast-fashion parecidos uns com os outros pode???


 O que o leitor de blogs alternativos quer em  termos de 
posts de looks e maquiagens?

Muitas de nós visitamos blogs de moças alternativas estrangeiras e apreciamos seus estilos pessoais ou looks do dia. Mas a realidade delas é um pouco distante da nossa. Não apenas pela disponibilidade de roupas e acessórios iguais ou semelhantes aos delas são escassas ou inexistentes aqui no Brasil, mas também devido ao clima que é diferenciado. 
Lá fora, elas têm acesso fácil à lojas e produtos alternativos, nós aqui, podemos passar uma vida inteira sem nunca ter conseguido nos vestir como gostaríamos devido à escassez de produtos.
Em países como EUA, Inglaterra ou Japão, a moda alternativa é algo muito palpável, basta sair às ruas pra encontrar uma loja física de produtos diversos. Há toda uma cultura já enraizada em algumas cidades ou bairros fazendo com que haja opções do alternativo ter locais para comprar e usar suas roupas. 

"Por mais que digam que os leitores queiram ver coisas reais, úteis, que possam ser incluídas no dia a dia delas, a maioria das leitoras, quer mesmo ver aquilo que é inatingível e distante, idealizado, porque talvez isso seja do ser humano, mesmo, independente de ser alternativo ou não", disse certa vez Erika, do Black Baroque

Sim, eu acredito que o idealizado e distante é do ser humano, MAS o que acho que também acontece é que viciamos e romantizamos nosso olhar pro estrangeiro! Damos ao estrangeiro idolatria e pensamos que teremos status quando nos tornarmos semelhantes à eles, pois temos uma autoestima baixa, uma síndrome de vira latas! Mas não deveria ser assim! Não podemos nos prender somente ao que vem de fora desvalorizando quem faz looks autorais, instrutivos e diferentes no Brasil.

Nós temos um clima complicado e tendemos à medida que ficamos mais velhas a garimpar e peneirar mais nossos estilos pessoais, criando nossas identidades. Sabemos que temos poucas lojas alternativas e pouca variedade de estilos, e também temos poucas opções de lazer na maioria das cidades brasileiras, assim, como usar o alternativo no dia a dia? Não é interessante que mais de nós mostremos isso?

Ou será que os leitores ainda preferem que postemos apenas looks de balada, estilos inatingíveis ou looks prontos? Será que não é mais interessante a blogger mostrar estilos e variedades reais e possíveis dentro de seu estilo pessoal??


Giovana, Erika, Rúbia, Marcela, Sandila: são apenas algumas das brasileiras alternativas que sou fã dos looks próprios, autorais e  completamente adaptados à realidade nacional. 


E vocês leitores, o que buscam em Looks do Dia da blogueira?


* Postado originalmente em abril de 2014, em meu outro blog que não está ativo no momento, importado e com texto adaptado ao MdS pois é um tema que merece ser trazido à tona aqui também.
  • 38Blogger Comment
  • Google+ Comment
  • Facebook Comment
  • Disqus Comment

38 Comments

  1. Ai que susto tomei ao me ver por aqui! rs rs Primeiramente, muito obrigada pelo susto, Sana! Adorei.

    Sobre o texto, eu diria que concordo plenamente com o comentário da Erika; as pessoas pedem por algo mais casual, menos montado, porém parecem desaprovar um "look" que seja composto por calça jeans e camiseta de banda, por exemplo, afirmando que são coisas comuns demais - fáceis de encontrar por ai. Porém, é onde entra toda a síntese que você fez nesse texto: se uma pessoa é realmente adepta do estilo alternativo, isso transparece em seu vestuário até usando coisas 'tão comuns' quanto a camiseta de banda e a calça jeans. O alternativo sabe pegar uma peça comum - de fast fashion e brechós - e transformá-la em algo que represente sua personalidade e estilo alternativos. Ai que está a diferença.

    A graça de mostrar "looks do dia" em blogs é realmente mostrar o look usado naquele dia (mas que coisa!!!) e não ganhar uma peça (que, quem sabe, a pessoa nem compraria por vontade própria), montar um look comercial com aparência alternativa e vender a ideia aos leitores. Nós, enquanto leitores, não somos burros e percebemos que a pessoa está vendendo uma aparência, e não mostrando sua realidade.

    Em contrapartida, há moças maravilhosas nesse meio de blogs alternativos que - para começar muito bem - fazem parcerias com lojas que já conhecem e cujo trabalho admiram, ganham peças e mostram-na da forma mais sincera possível, usando-as como realmente o fazem (bem como um comentário aqui nesse blog, onde você falou lindamente sobre adaptar a peça de determinada loja ao próprio estilo, nunca o contrário) e mostrando isso ao leitor! Isso é ser idôneo e sincero de fato.
    Graças à essa sua postagem, conheci mais dois blogs assim. Muito obrigada!

    Beijões, Sana!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. hahaha! De nada, imagina, adoro seu blog, suas dicas de make.... ;-)
      É como vc falou: o look do dia é DO DIA! Pode ser básico ou de sair! Mas não podemos viciar nosso olhar e exigir que a blogueira mostre somente coisas patrocinadas ou distantes e idealizadas porque aí a gente se prende muito no que é de fora, sendo que com criatividade a gente se vira com coisas daqui mesmo!
      bjs!! =D

      Excluir
    2. Gente,não tem condição não num calor nordestino por exemplo ( moro na região metropolitana de Recife) usar uma bota coturno até as canelas e roupa toda fechada ! Concordo absolutamente com o texto. Acho que os looks devem deixar a pessoa confortável. Os looks das garotas BR são bons e muito práticos, da pra fazer adaptação valendo.

      Excluir
  2. Ótimo texto!!!! Acredito que antes de mais nada, nós devemo perder esse medo de fazer uma moda brasileira. Como você mesmo disse, não dá para copiar as gringas numa cidade que faz 40ºC. Isso acontece muito com a moda lolita. Só de usa lolia se esta com uma blusa embaixo do vestido ou sempre tem que usar meia. Hoje em dia isso está mudando, acho que começamos a desenvolver uma "lolita brasileira" mas ainda assim parece que as pessoas se vestem apenas para tirar fotos e essa não é a ideia.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Também acho! As fotos de fora são ótimas pra gente pegar referências mas elas não podem ser nosso objetivo já que nosso contexto social é BEM diferente! Se a gente conseguir criar/manter nossa identidade com o que temos em mãos será um grande avanço.

      Excluir
    2. ah, lembrei de uma coisa... uma vez fiz um curso no Senac e uma das alunas (de outra sala) usava o outfit completo de sweet lolita. Ela usava meias e algumas grossas, tipo fio 40 pra cima, pra esconder as pernas e eu ficava pensando que a moça devia andar só de carro com ar condicionado porque pelo calor que fazia na época, impossível andar de busão ou a pé com aquele traje. Ficava ridículo sabe? Embora os looks fossem lindos! Era como ver aqueles góticos de sobretudo no verão... a gente tem que usar a moda e não a moda usar a gente. Se ela tivesse transformado a moda lolita numa coisa mais "clima do Brasil" talvez as pessoas não olhassem com tanta estranheza pra ela como olhavam, pois percebiam que ela tava sofrendo com o calor...

      Excluir
  3. Gostei bastante do texto, e concordo com o fato de que aqui, as pessoas se prendem muito ao fato que para se vestir bem,tem que ter/investir uma grana alta.Acredito que, pelo fato das lojas de fast-fashion comercializarem mais peças tendência, causa uma certa dificuldade em compor um estilo próprio (ou até mesmo preguiça das consumidoras,porque a peça tá ali,montada porque se esforçar não?!),para quem não está habituado a fazê-lo,mas na minha opinião também culpo um pouco o preconceito que muitas pessoas tem em comprar em lojas mais populares,ou como minha mãe diz "baciada".
    Em brechós encontramos muitas coisas legais,eu sou adepta,mas em lojas como Torra-Torra
    (aqui a minha queridinha é a Eskala),acabamos encontrando MUITAS peças legais,que nem
    sempre são tendência e com preços muy amigos.Minha mãe sempre criou o habito de me levar nessas
    lojas e agradeço,porque posso comprar o que gosto sem pagar um absurdo por isso.
    E o fato do consumismo desenfreado/descartável,faz com que as pessoas fiquem desesperadas em ter,sem
    investir e moldar o estilo com sua personalidade,muitas pessoas não possuem nem a paciência de
    provar peças quando vão comprar.
    Sobre o LookBook, foi uma coisa que me deixou frustrada um tempo atrás,apaguei o meu perfil antigo,pois não aguentava mais ver meninas com corpos que eu não vejo na rua ou, com aquelas toneladas de roupas de lojas parceiras,sem muito apelo pessoal.Não me inspirava mais e acabei refazendo meu perfil,escolhendo pessoas nas quais fossem próximas da realidade que vejo nas ruas.Muitas meninas reclamam que possuem quadris largos,eu já acho lindo,porque nosso biotipo é assim e não tem como negar isso,é apenas buscar aceitação e ver que somos bonitas por conta da singularidade!
    Não vejo nexo também em sair morcegando por ai,em plena luz do dia!Não é porque alguém se veste mais simples que é menos alternativo,'vaidade' não é uma obrigação,mas uma forma de refletir nosso bem-estar e humor!Nem sempre há uma ocasião para usar uma maquiagem carregada ou uma roupa mais elaborada.Como você mesma disse: "Ou seja, looks simples e autorais não pode, mas looks simples fast-fashion parecidos uns com os outros pode?"-já vi muita gente me olhar torto no rolê,porque naquele dia escolhi uma roupa menos elaborada,somos pessoas e não personagens!
    "MAS o que acho que acontece é que viciamos nosso olhar pro estrangeiro! Damos ao estrangeiro idolatria e pensamos que temos status quando nos tornamos semelhantes à eles, pois temos uma auto-estima baixa! Mas não deveria ser assim! Não podemos nos prender somente ao que vem de fora desvalorizando quem está fazendo um trabalho autoral, instrutivo e diferente no Brasil."-Isso de fato é muito verdade,há grifes nacionais que são bem bacanas ( e acessíveis ),adaptando suas criações para usarmos fora do meio alternativo,mas poucos dão o real valor á essas pessoas!
    Possuímos misturas e influências diversas no nosso país,que pura e simplesmente são ignoradas.
    Decidi não aceitar parceria,porque mesmo gostando de uma loja/marca nem todas as peças da mesma são do meu estilo,prefiro provar,ver se fica bem e me apaixonar porque sei que assim a peça vai ser usada até começar a andar sozinha.Gosto de ter liberdade de escolha nesse caso,porque nem sempre as pessoas podem comprar em uma loja virtual.
    Abandonei a leitura de muitos blogs ditos "alternativos" por conta dos looks do dia,serem montados apenas para fotos e nada mais,não acho isso honesto mesmo que as peças não façam parte de post-publi,um look real mostra que muitas vezes não possuímos aquela vontade de andar montado, e que é possível ter estilo mesmo assim!
    Mas ainda tenho esperança que com o crescimento dos blogs,também tenhamos blogs alternativos com cara de blog nacional,adulto e com looks mais reais!

    Beijos
    PS:Obrigada pela citação,fiquei até sem jeito quando vi!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. De nada! =D
      Eu tenho peças MUITO legais comprada em lojas baratas que não paguei mais de 20 reais! Peças em renda e com detalhes diferentes que não acho nem em loja de departamento...
      Eu tb acho que o lookbook é interessante pra gente ter como um arquivo dessa época que estamos vivendo, mas somos bombardeadas de looks que a gente sabe não tem como montar morando aqui no Brasil, isso frustra, mas aí a gente percebe que por termos menos opção de variedades, nos esforçamos mais pra criar nossos looks! Mesmo que básicos, são nossos!!
      Eu tb espero que os blogs cresçam e que cada vez mais, nós tenhamos uma estética mais nossa cara =)
      Bjs!

      Excluir
  4. Como sempre um texto que leio com vontade que a leitura não acabe nunca. Concordo plenamente com o que você falou e acredito que isso aconteça dentro de todas as subculturas.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Eu tenho dó dos leitores porque não sei ser sucinta e sempre escrevo demaaaaais =D
      Mas que bom que não cansou de ler!! Ufa! hahahaa!!

      Excluir
  5. Sana, que legal que as reflexões e discussões do post anterior geraram este aqui, fico muito feliz de ter contribuído! Obrigada por, mais uma vez, citar e indicar o meu blog, você sabe que, para mim, os seus textos sempre foram uma referência. Adorei este post e os comentários das outras leitoras. Blogueiras estrangeiras podem servir de inspiração, eu mesma sou fã da Valentine Mothmouth, que mora na Finlândia, mas você colocou bem quando disse que precisamos criar referências nacionais e pasofrer ou de se cobrar por nunca alcançar o padrão do que vem de fora.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. De nada =D
      Também adoro o blog dela mas é outra realidade né? Também tenho minhas inspirações (adoro os looks da modelo Adora Batbrat, por exemplo) mas se a gente conseguir criar looks interessantes com o pouco que temos aqui, tá valendo! Mas não acho justo nos comparar com as gringas... =)

      Excluir
    2. Exatamente, é uma realidade completamente diferente, temperaturas mais baixas, mais lojas com a proposta de vender esta estética, brechós incríveis...a gente pode se inspirar nas peças ou no estilo da blogueira, mas querer reproduzir exatamente igual acho complicado. Também sou a favor da criatividade e do toque pessoal.

      Excluir
  6. Ai Sana, meu coração não aguenta de tanta alegria!!!!!
    Esse é um assunto que tenho pensado muito e me fez até parar de seguir muitos blogs por considerar mais do mesmo, sempre senti muita falta de meninas daqui do Brasil com estilo 100% próprio, moro na região do centro de SP e não aguento mais ver garotas com looks que são copias exatas de blogs europeus/asiáticos ( e olha que eu amo blogs da asia).

    Eu sou fora desses padrões sou gordinha e bem alta, antes não usava muitas coisas que queria pq achava que "não ia ficar tão legal em mim" agora aprendi que num tem nada disso e eu estava sendo só mais uma pessoa oprimida por esses padrões idiotas!

    Seu post ficou de parabéns !


    ResponderExcluir
    Respostas
    1. De mais do mesmo a gente não precisa! Tem vários blogs "pequenos" (entre aspas - na verdade são blogs de bom tamanho! Considerando que a cena alt é um nicho pequeno) que dão baile!
      Eu tb curto blog estrangeiro mas pra me inspirar, naum pra copiar rsrss!
      Ah essa coisa de corpo a gente tem que se desvencilhar!! Eu mesmo sendo magra tenho problemas pq as pessoas julgam minha magrelice, NINGUEM escapa, sempre tem alguem de plantao pra te julgar!! Tem que ligar o foda-se e usar e ser como quiser!!
      Obrigada e bjs!!

      Excluir
  7. Eu acho que o alternativo "usa o que quer" sim, mas isso não o impede de ir procurar referencias em outros blogs de moda para ter inspiração.

    "Você vai usar aquela peça mainstream de uma forma única e não de uma forma igual."
    *clap clap clap*
    Acho isso que você falou a definição de uma pessoa estilosa haha Tudo que ela usar, vai ficar bom porque ela vai botar o estilo dela em cima da peça :D

    Beijos,
    Jiglay

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Não impede, mesmo porque o alternativo só existe porque usamos referências estéticas de subculturas que surgiram antes da gente nascer (ao menos antes de eu nascer rsrsrs). É que antes a gente se inspirava em membros de subculturas/estéticas DE subculturas, hoje a gente busca referências em blogs de moda.
      E acho que a gente deve usar a moda a nosso favor e não a moda usar a gente =)

      Excluir
    2. "E acho que a gente deve usar a moda a nosso favor e não a moda usar a gente =)"

      Falou tudo em uma única frase!!!

      Excluir
  8. Muito bacana o texto! O que mais me chamou a atenção foi a respeito de mesmo usando peças de lojas de departamento, peças da moda mainstream, continuaremos tão alternativos quanto, pois isso depende de como usamos essa peça. Acho que é isso que mostra bem o que é ser alternativo: o fato de conseguirmos colocar nossa marca no que quer que vestimos independente de onde esta peça veio. Autenticidade - essa é a palavra chave!

    ResponderExcluir
  9. Excelente texto!
    Sinto falta mesmo de ver looks reais, de gente que anda na rua e vai trabalhar. Eu sei que tem gente que se vista de maneira mais ousada, mas duvido que peguem transporte público de salto plataforma e espartilho de vinil, mesmo que você more em São Paulo (que deve ser a cidade mais alternativa do Brasil), essas coisas não combinam nem com nosso clima. Inclusive eu nunca fui gótica de verdade porque fazia calor demais na minha cidade e mesmo pulseiras de couro eram desconfortáveis. Não acho que a gente tenha que se desdobrar só por um look, copiado das européias e americanas, ainda por cima.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Pois é, e quando a gente posta look mais real/normal, ninguém se interessa hahahaa! Bipolaridade rules no meio alternativo! =DD
      Minha cidade tb é quente e me privo até hoje de muitas coisas, por isso aproveito o máximo outono/inverno e invento mil desculpas pra sair só pra poder usar umas roupas que ficam o resto do ano guardadas! =P

      Excluir
  10. Moda alternativa "usável"é difícil de conciliar com o gosto desse povo muito "true"...acho q sou uma das poucas que acha legal a moda alternativa se tornar mainstream. Um look legal pra mim, é contemporâneo, mesclando influências e levando em conta o ambiente da pessoa que o usa. Julguem-me! =P
    PS: Sana, gata, arrasou na foto do chapéu. =*

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigada Laura hahaha! =D
      Vejo vantagens na moda mainstream ter referências alternativas, mas não sou 100% fã. Eu uso bastante looks "básicos" (dentro do meu conceito) no dia a dia, mas quando posto looks mais reais aqui no blog eles são BEM menos acessados e comentados que o mais montado. Será que o povo quer mesmo ver "looks reais" como dizem que querem? Talvez não.. como disse a Erika, o look mais elaborado é mais interessante.

      Excluir
  11. assim como você fez, vou dar continuidade aqui!
    pessoalmente a minha dificuldade maior pra vestir o que quero não está relacionado mais a ter onde comprar. no post anterior deu pra ver o quanto importações e a moda mainstream (também temos lojas de departamento e brechós) abraçando a alternativa puderam deixar esse universo mais próximo. pra

    mim tem mais relação ao preço, clima como você disse, segurança e estilo de vida e/ou idade. por muito tempo pensei que poderia desassociar totalmente uma coisa da outra, mas acaba que pra se conseguir vestir algo diferente aqui no brasil, você tem que ter um cotidiano diferente também.
    e acho que é necessário alguma grana. não precisa ser rica ou depender de patrocínios (mas ajuda, né? haha), mas também é inviável investir em estilo

    quando você tá mais preocupado em sustentar a casa ou ter o que comer...

    eu não tenho problema com quem usa estilos diversos, mas de um jeito próprio. o que me incomoda é usar estilos diversos que são iguais à todas as outras pessoas/vitrines. nisso eu não vejo muito sentido. não me passa nada sobre o indivíduo, porque é só "mais um".

    eu vejo hoje os blogs e lookbooks com o mesmo papel das revistas (e estão cada vez sendo mais influentes que elas): você não as compra só pra ver

    camiseta e tênis, você quer ver os editoriais elaborados, porque é o que chama a atenção. eu não culpo o público de ignorar looks mais simples, porque dependendo, é o que eu faço também.
    o acesso aos recursos profissionais (maquiagem, styling, fotografia) agora pertencem à todos que quiserem ir atrás. não é mais exclusividade de uma

    única publicação que vai ditar tudo, e por um lado isso é bom, né? por outro, a "competição" é MUUUUITO maior, o investimento precisa ser igualmente muuuuito maior também. se a pessoa quer postar looks mais simples, ela tem que compensar em outros aspectos, como a qualidade da fotografia, ou ser excepcionalmente bonita. quando eu vejo que no lookbook tem fotos com 1000 hypes, só porque a pessoa bonita tá com uma camiseta branca e foto legal... isso sim é uma dura realidade. quem usa moda alternativa infelizmente está suscetível a idealizações estéticas também... mas acho que o instagram está
    mais cumprindo esse papel de dia-a-dia, que antes foi dos blogs. as mídias apenas mudam, o que a gente não pode é ficar ultrapassada, porque a mudança é de fato bem rápida...

    pelo menos pra mim, não é o fato de algo ser inatingível que me atrai, mas sim a elaboração, o detalhamento, a originalidade e a riqueza de um look que por acaso não tem tanta praticidade e acessibilidade. cuturalmente, estamos muito atrasados em moda que os países do hemisfério norte, e vemos esse reflexo isso até hoje em todos os campos da arte e design... porém, ser mais difícil de fazer, especialmente aqui no brasil, é mais uma infeliz consequência do que o motivo da admiração...

    nos dias de hoje em que nem mesmo os street snaps são mais uma expressão espontânea do vestir e ninguém sabe mais o que é autêntico, quem sempre ligou mais pra isso - aqueles que não se vestem de acordo com os padrões - são uma das poucas esperanças no que se diz respeito à estilo...

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Também acho que aqui no Brasil não tem como dessassociar totalmente nossos looks de lojas mainstream. Ainda precisamos disso, mas sempre foi assim né? É que antes, pela falta de opções o alternativo era "obrigado" a customizar, hoje não, hoje tá tudo pronto e ele só vai e veste e investe em outras coisas pra ter diferenciação.

      Mas particularmente ainda acho que é necessário grana sim, ao menos pra quem quer postar looks de qualidade, porque a pessoa precisa comprar camera boa e estudar e "alugar" um fotógrafo. Eu ainda não tenho interesse nisso, ainda gosto de blogs mais old school e com um pézinho no alternativo com menos influência do mainstream.

      Vivemos na era da imagem, na era da posse, a pessoa precisa "ser" (linda/estilosa) e "ter" (poder de consumo). E é isso que atrai, mas não me atrai de todo porque não me interesso muito em seguir o que tá na onda. Ainda bem que existe uma linha de blogs que ainda preserva aquela coisa de blog ser um diário e ter looks reais. São poucos, mas eles estão por aí, indo contra a maré.

      É muito difícil definir o que é autêntico. Mas existem pessoas que tem uma habilidade genuína pra criar looks e elas "vivem" o look.
      E existem os que gostam de montar pra serem fotografados (eu adoro me montar!). A falta de autenticidade seria a pessoa se montar apenas pra "se aparecer" e ser vazio, não ter, de fato um amor à moda, ao adorno (nem sei se me expressei direito aqui rsrss).


      Excluir
    2. aí depende do que cada um considera como "grana". 8D eu acho que se for um blog que visa lucrar com isso, precisa mesmo de uma boa quantidade de roupas, por causa da frequência de posts exigida e de muito investimento na própria imagem. mas pela internet e apenas fotos, não vejo tanta necessidade de ter qualidade, porque pode ser facilmente manipulada e disfarçada. :/ muitos blogueiros famosos se viram apenas com câmera do iphone e não possuem fotógrafos, tirando sozinhos no espelho ou com tripé. acho que tudo realmente depende do tipo de blog, e o que mais vai chamar a atenção é uma combinação de fatores... com a competição tão alta, o que realmente está fazendo diferença não é o look e a fotografia em si, mas o marketing e investimento. :/

      por "autêntico" eu quis dizer que seja algo que exteriorize o que a pessoa é/almeja, ou seja, que tenha (ou só demonstre) um estilo próprio definido. isso independe da influência que ela sofra de empresas, que podem fornecer algo de acordo com o que ela gosta/é, da ocasião e de como tira foto. um look ser planejado e a foto ser planejada não deveria tirar o crédito um estilo. o que me parece falso é virar apenas uma modelo, um manequim, um cabide, que você colocar o que quiser em cima e ela não pode questionar, pois está cumprindo a única função de ser vestida. essa desconexão do interior com o exterior ou algo não ser conciso é o que faz, na minha cabeça, com que seja "apenas mais um": descartável, volátil, que cai no esquecimento, moda passageira, fast fashion, que é uma das coisas que a maioria das pessoas alternativas não se deixam ditar, por mais que utilizem quando convém! acho que essa é uma diferença crucial.

      Excluir
  12. Sana,em q mundo eu estava q n'ao tinha visto esse post?
    Adorei e acho q concordo com tudo o q vc disse.e quase cai pra traz quando vi minha foto ali,kkkk,serio,muito obrigada.
    Eu tbm gosto de blogs,fotos,looks mais autenticos e pessoais,n'ao consigo acompanhar ou gostar de coisas muito copiadas e muito mainstream,pode atrair a maioria,mas pra mim nao funciona,principalmente a questao de valores,eu sou uma pessoa que busca o belo (o q eu acho belo hehe) porem barato,nao acredito que uma peca tenha que ter a etiqueta X pra fazer o look ser bom,oq conta pra mim e a beleza da peca em si,o design dela,independente do valor.
    Eu acho q devemos aproveitar o lado bom do mainstream,como para conseguir coisas q acabam ficando de mais facil acesso,para se inspirar etc.
    Tbm adoro ver pessoas que sao fora dos padroes,e que dao um tapa na cara da sociedade com seus estilos proprios,que conseguem se amar,usar o q gosta e ser linda.
    Eu particularmente gosto do look montado,e obvio,mas isso e para certas ocasioes,no dia a dia nao temos condicoes nem de clima nem de tempo,mas isso nao significa q nao podemos colocar no dia a dia o nosso toque pessoal,o estilo que gostamos,e disso q sinto falta tbm,os looks casuais tinham q aparecer mais,eu confesso que que na correria acabo nao conseguindo fotografar meus looks de dia a dia,mas penso em colocar no blog,tenho q corrigir isso rs,n'ao sei se vai ser do interesse das pessoas,mas eu quero ver minha evolucao,analisar o q funciona etc.
    Enfim,parabens mais uma vez por uma materia tao linda.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Normal Gio, é tanto post rsrsrs!!
      De nada, vc sabe que sou sua fã declarada!!
      Pois é, como a Rika falou acima, essa coisa de look mais dia dia agora é no instagram. Mas e quem não tem instagram por opção e o fato de blogs serem em sua essência "diários" abertos de sua vida, então, teoricamente vc deveria postar looks de sua vida em várias ocasiões, seja básico ou montado!

      Eu também adoro ver look montado, mas aí é aquela coisa, é uma idéia/referência pra evento, já quando vejo um look mais dia a dia, consigo pegar uma ou outra idéia mais "real"/usável!
      Também não costumo fotografar looks dia a dia pela correria. Os looks mais montados como são pra lazer, tem todo um tempo que permite fotografias =)

      Excluir
  13. Oi Sana! Mais um post excelente. De acordo com a minha experiência e compartilhando do que algumas meninas comentaram também, vejo que no meu blog os looks mais básicos também são os que tem menor procura. Aliás, meu estilo é básico. Mesmo que eu esteja "montada", prezo sempre pelo conforto. Você nunca vai me ver usando sapatos desconfortáveis ou roupas que apertam. E compartilho dessa visão de que o ser humano gosta do que é inalcançável - seja ele alternativo ou não. Talvez venha daí a idolatria. Essa nossa mania de colocar as pessoas num pedestal, esquecendo que são seres humanos que nem nós. E outra coisa muito importante que tu falou no texto: não adianta ser um blog alternativo e continuar reproduzindo culturas de massa. Machismo, racismo, homo/transfobia e gordofobia correm as soltas pelos blogs. Parece que você tem permissão de ser alternativo só se estiver dentro dos padrões de beleza mainstream - é que nem a foto da menina alta, magra, loira e de traços delicados que você postou na parte 1. É um alternativo muito fácil de ser aceito e admirado pelo mainstream, né? Assim fica até mais fácil vendê-lo. Mas enfim, esses assuntos dão muito pano pra manga.
    Beijo :D

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Bruna!
      Obrigada!
      Também sou como você, prezo pelo conforto mesmo quando me monto mais! E isso é o que me faz por vezes desistir de comprar algo mais "fashion" se ele não for confortável!

      É isso que quero falar num próximo post, sobre que as gringas tem como usar um look mais "inalcançável" porque elas tem acesso fácil à milhões de lojas e estilos no país delas. E nós, além do clima complicado, não temos tanta oferta e importar é um pouco caro, o que exige economias prévias, então acho justo a gente admirar as meninas daqui do Brasil que conseguem ter um estilo próprio mesmo com a escassez de opção do que ficar somente idolatrando estrangeiras - que sim, são maravilhosas mas como eu disse, pra elas é mais fácil.

      Infelizmente conheço algumas pessoas que tem cabelo colorido, tatuagens, usam roupas diferenciadas - ou seja sofrem preconceito diário, com certeza - mas quando abrem a boca só reproduzem machismo e gordofobia... e aí eu penso: mas como pode??? Pra mim é absurdo usar uma casca alternativa mas por dentro apenas reproduzir pensamentos retrógrados sem questionar! :(
      Bjs e adoro sua participação!

      Excluir
  14. Nossa, você tocou em vários pontos extremamente importantes e que às vezes chegam até a me incomodar bastante.
    Um deles é essa questão do que as pessoas querem ver como alternativo. Eu sempre vejo comentários do tipo: "Ah, mas esse look é fora da nossa realidade" quando a pessoa se monta de mais, mas também sempre vejo comentários do tipo "isso é muito simples, não é alternativo", quando a pessoa veste uma coisa mais simples, adequada ao clima no momento em que ela se vestiu. E acho que os dois tipos de comentário estão, de certa forma, errados. Na minha opinião, ser alternativo está muito mais ligado ao modo de pensar e agir, ao modo de vida de alguém do que apenas ao modo de se vestir. É claro que no final, a estética acaba sendo influenciada pelo modo de pensar diferente da massa, mas não chega a ser uma obrigatoriedade (exceto quando é um caso de subcultura em que a pessoa é fiel ao estilo de se vestir também).
    Também vejo muita gente comentando que só porque uma pessoa veste uma peça considerada do universo mainstream que aquele look não é alternativo, mas se esquece que o ser alternativo, muitas vezes é também pegar uma peça mais comum e adequá-la ao universo alternativo, já que, como você mesma disse, é muito mais difícil achar lojas alternativas por aqui.
    Acho que antes de alguém considerar algo como alternativo ou não, ela deveria tentar entender o por quê da pessoa se montar mais ou menos em um look. Será que ela não estava vestida para um evento? Será que no dia o clima estava mais frio e assim se tornou possível um look mais pesado? Ou será que no dia estava aquele solzão que parecia ter acabado de subir do inferno e a pessoa optou por algo mais leve e fresquinho? Ou será que naquele dia a pessoa não estava com ânimo suficiente pra vestir qualquer outra coisa e optou por um jeans e blusa de banda?
    Antes de ficar julgando, é preciso entender a motivação por trás daquilo.

    O segundo ponto, que na verdade acho que é o mais importante de todos é a questão do vestir alternativo, mas continuar passando pensamentos da massa. Será mesmo que alguém que prega machismo, homofobia, racismo, transfobia, gordofobia ou qualquer outro preconceito é tão alternativo quanto aparenta? Mesmo que essa pessoa esteja montada no vinil e renda, pra mim não passa de mais um na multidão. É o que citei acima, na minha opinião, o ser alternativo está mais ligado ao modo de viver e pensar de alguém do que apenas a estética. Vejo tanto isso no meio alternativo que me incomoda de mais. É gente que se diz diferente, bota um coturno carregado de spikes, uma maquiagem parecendo que acabou de sair do quinto dos infernos, mas vai lá e critica o outro porque o outro é homossexual. Ou aquela garota que parece mais uma modelo saída da Europa, toda montada no dark, com bota 7/8 de vinil e tudo mais, mas que critica uma garota da cena que é mais gordinha. Gentee, cadê o seja como quiser e foda-se o padrão da sociedade? Cadê o real motivo de ser alternativo? Quando vejo coisas desse tipo, eu fico pensando se a pessoa não se veste daquela forma só pra chamar a atenção mesmo, porque isso pra mim não é ser alternativo...

    Mas enfim, acho que no final, tudo isso está ligado ao desejo do inalcançável. Ao desejo daquilo que não é natural nosso. Ao romantizar e idolatrar o que é de fora e achar que tudo o que ta perto da gente, ao nosso alcance é ruim. Precisamos tirar essa viseira de que tudo que é nosso não presta. Tem muita coisa lá fora que não presta também, mas a gente só vê aquilo que queremos ver e acabamos achando que lá fora é um sonho e aqui o pesadelo. Que os de lá são os grandes cisnes brancos e os daqui os patinhos feios. E é claro que isso também não significa que precisamos fechar nossos olhos para nossos defeitos, precisamos é ajudar a consertar o que estiver errado e o que é errado é aquilo que prejudica alguém e não o que é diferente.

    Nossa.. acho que falei de mais.. não sei se consegui escrever aqui meu modo de ver a situação toda. Mas acho que é isso.

    bjin

    http://monevenzel.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Mone! Adorei o comentário!
      Sim, concordo, a atitude fala mais do que a roupa, beeeeeeeeem mais! Mesmo qdo a pessoa é de uma subcultura e ela ameniza a estética, se ela tem atitude isso transparece, mesmo se ela estiver com jeans azul e camiseta branca.

      Sobre peças mainstream.... bom eu cresci nos anos 90/2000 não tinha loja alt no Brasil com roupas fashion, então sim! passei uma boa parte de minha vida - e ainda passo - usando roupas mainstream customizadas ou adaptadas ao meu estilo pessoal.
      Quem consegue viver 100% de guarda roupa de loja alternativa, pra mim, é gringo kkkkkk pq lá fora tem muita loja alt e com todo tipo de roupa. ;)

      E nossa, pra mim, a mente, o pensamento "fora do padrão" define MUITO uma pessoa alternativa "de verdade". Claro que existem alternativos em subculturas conservadoras, mas mesmo estes, em algum ponto, pensam diferente da massa. Se uma pessoa não questiona a massa, aí tem problema! Porque aí o alternativo entra na vida dela só como moda mesmo, não como uma representação de quem ela é! :(

      Excluir
    2. Exatamente! A pessoa pode ta toda de branco que se ela tiver atitude, pensar fora da caixa, vai transparecer! ^^

      Concordo viu.. por mais que existam hoje muitas lojas alternativas e por mais que as de fora também enviem para o Brasil, se vestir inteiro de lojas alternativas fica fora da nossa realidade (pelo menos da minha) porque no final a conta fica muito cara... rs
      Posso dizer que uns 80/90% do meu guarda-roupa são de lojas comuns que eu combino no meu estilo ou que eu customizo... ^^
      bjin

      Excluir
    3. Confesso que nessa calor todo,tô é pensando em adotar o branco como uma opção ao preto! Desafio vai ser encontrar peças nesta cor com jeitinho diferenciado :P
      Fica carinho mesmo... comprar em lojas alternativas se torna meio que um projeto anual, cheio de wishlists :DD

      Excluir
  15. Adorei o texto, sempre posto looks mais reais ao que uso aqui em Salvador e muita gente me critica dizendo que não tenho "cara de roqueira", já viu? Amo a cor preta e não a uso porque gosto de rock, mas tenho que saber usar de uma forma que eu me sinta confortável. Não estou nem ligando. Queria sim usar peças mais pesadas, coturnos etc, mas daí morreria de calor e não me sentiria bem!

    www.rockcomluxo.com
    www.youtube.com/natypottersena

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Natália! Legal seu depoimento! De uma pessoa que vive no nordeste, região famosa pelo clima quente! Bom saber que você curte looks mais reais e adapta seu estilo rock ao clima saindo de um estereótipo!
      Eu dei uma olhada no teu blog e nos seus looks e achei super interessante eles serem super reais e usáveis no dia a dia! :D

      Excluir
  16. Adorei o texto. Realmente falou tudo. Nós brasileiras somos diferentes,pele,rosto e formato de corpo diferente,precisamos nos valorizar. Deixar de lado a 'sindrome de vira-lata" que tu citou ali. Adoro as meninas que tu usou como exemplo. Já as sigo. Eu monto meus looks sempre visando coisas que me agradam,independente se é mainstream ou não,o que na maioria das vezes não é...coisas até de brechó. Adorei mesmo o texto e vou até divulgar lá na mina page o teu link. É muito importante que tod@s leiam . Beijão

    http://nanyfreakculture.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigada! :D
      Somos diferentes e vivemos num país que mal faz frio né? É algo que a gente precisa superar, o complexo de vira-latas... somos capazes sim!! ;)

      Excluir

Obrigada por comentar! As respostas serão dadas aqui mesmo, então não esquece de clicar no botão "notifique-me" pra ser informada.

comments powered by Disqus
Pin It button on image hover